Páginas

Guerra dos Farrapos

Guerra dos Farrapos

sábado, 8 de abril de 2017

A Terra além do Pólo, o diário secreto de Richard Byrd / The Earth beyond the Pole, The secret diary of Richard Byrd




Richard Evelyn Byrd, nascido a 25 de Outubro de 1888, foi vice-almirante da Marinha dos Estados Unidos e o primeiro piloto aviador a explorar os polos norte e sul no período de 1926 a 1947, ano este em que teria contatado com uma Civilização superior no interior da Terra e faria a revelação mais fantástica da história da Humanidade no seu Diário que foi encontrado após sua morte em 1957, pois esteve impedido sob juramento militar de dizer ao mundo tudo o que viu e descobriu naquela “TERRA ALÉM DO POLO... AQUELE CENTRO DO GRANDE DESCONHECIDO”.... Aqui fica todo o relato de sua viagem nunca imaginada pela Humanidade do século XXI que só agora começa a despertar e a conhecer segredos que vão sendo desvelados ao mundo:

BASE CAMPO ÁRTICO, 19/2/1947

06h - Completamos os preparativos para nosso vôo para o norte e estamos voando com os tanques cheios, ás 06:10.

06:20 - A mistura no motor de estibordo parecia estar muito rica, foram feitos os ajustes e os Pratt Whittneys estão funcionando suavemente.

07h - Radio check com o campo da base. Tudo está bem e a recepção via rádio é normal.

07:40 - Observado um pequeno vazamento de óleo no motor de estibordo, mas o indicador da pressão parece normal.

08h - Pequena turbulência vinda de leste numa altitude de 2321 pés; corrigido para 1700 pés; a turbulência acabou, mas aumenta o vento de popa; feito pequeno ajuste nos controles do acelerador e o avião está com desempenho muito bom.

08:15 - Radio check com o campo da base, situação normal.

08:30 - Nova turbulência; altitude aumentada para 2900 pés; vôo tranquilo novamente.

09:10 - Vastidão de gelo e neve abaixo, notando uma coloração amarelada; exame desse padrão de cor abaixo; notando também coloração avermelhada ou púrpura. Circulando esta área com duas voltas completas e voltando ao curso traçado. Checagem de posição novamente com a base do campo e transmitindo informação sobre as colorações no gelo e na neve abaixo. Bússola e giroscópio começando a girar e oscilar; estamos incapazes de manter nosso rumo pelos instrumentos. Orientando-nos pelo Sol, mas tudo ainda parece bem. Os controles parecem lentos em responder mas não há indicação de congelamento.

09:15 - Parece haver montanhas a distância.

09:49 - Já se passaram 29 minutos da primeira visão das montanhas; não é uma ilusão. São montanhas consistindo de uma pequena cadeia que nunca vi antes!

09:55 - Mudança de altitude para 2950 pés, encontrando forte turbulência outra vez.

10h - Estamos atravessando a pequena cadeia de montanhas e ainda indo para o norte da melhor maneira possível. Além da cadeia de montanhas está o que parece ser um vale com um pequeno rio correndo pelo meio. Não deveria haver um vale verde abaixo! Definitivamente, alguma coisa está errada e anormal aqui! Deveríamos estar sobre gelo e neve! Há grandes florestas nas encostas das montanhas. Nossos instrumentos de navegação ainda estão girando e o giroscópio está oscilando para trás e para a frente.

10:05 - Altero a altitude para 1400 pés e executo uma volta fechada para a esquerda, para examinar melhor o vale abaixo. É verde com musgo ou uma espécie de relva muito fechada. A luz aqui parece diferente. Já não vejo o Sol.

Fizemos outra curva para a esquerda e vemos o que parece ser um grande animal abaixo de nós. Parece um elefante! Não! Parece mais um mamute! É inacreditável! Ainda assim, lá está ele! Diminuindo a altitude para 1000 pés e pegando binóculos para examinar melhor o animal. Confirmado - definitivamente é um animal semelhante a um mamute! Relatamos isso para a base.

10:30 - Encontrando mais colinas verdes ondulantes. O indicador de temperatura externa marca 74 graus Fahrenheit (23º Centigrados). Continuando agora o nosso curso. Os instrumentos de navegação agora parecem normais. Estou intrigado com seu desempenho. Tentativa de contatar a base. O rádio não está funcionando!

11:30 - O campo abaixo está mais plano e normal (se é que posso usar essa palavra). Adiante vemos o que parece ser uma cidade!! Isso é impossível! O avião parece leve ou estranhamente flutuante. Os controles se recusam a responder!! Meu DEUS!!! Ao lado de nossa asas, direita e esquerda, estão aeronaves de um tipo estranho. Estão se aproximando rapidamente! São em forma de discos e irradiam luz. Estão agora suficientemente perto para ver suas insígnias. São uma espécie de Swastika! Isso é fantástico. Onde estamos? O que aconteceu? Puxo os controles outra vez. Não respondem!!! Fomos apanhados por uma garra de algum tipo.

11:35 - Nosso rádio estala e uma voz fala em Inglês com o que talvez seja um ligeiro sotaque nórdico ou alemão! A mensagem é: "Bem vindo, Almirante, está em boas mãos". Reparo que os motores de nosso avião pararam. O aparelho está sob algum controle estranho e está virando. Os controles são inúteis.

11:40 - Recebida outra mensagem pelo rádio. Começamos a aterrissagem agora e, em momentos o avião treme ligeiramente, e começa a descer, como se houvesse sido apanhado num enorme elevador invisível! O movimento para baixo é mínimo e tocamos o chão apenas com leve salto!

11.45 - Estou fazendo uma última anotação apressada no diário de vôo. Uma porção de homens se aproxima a pé de nossa aeronave. São altos com cabelo louro. À distância, pode-se ver uma grande cidade, reluzente, pulsando com matizes do arco-íris. Não sei o que nos acontecerá agora, mas não vejo sinais de armas nos que se aproximam. Ouço agora uma voz ordenando-me para abrir a porta. Eu obedeço.

Deste ponto em diante, narro todos os acontecimentos seguintes, de memória. Desafia a imaginação e pareceria loucura, se não houvesse acontecido.

O radiotelegrafista e eu fomos tirados do aparelho e recebidos de modo muito cordial. Fomos depois embarcados num transporte em forma de plataforma, sem rodas! Levou-nos à cidade resplandecente com grande rapidez.

Quando nos aproximamos, a cidade pareceu-nos feita de um material cristalino. Logo chegamos a um grande edifício, de um estilo que eu nunca havia visto. Parecia ter saído da prancheta de Frank Lloyd Wright, ou talvez, mais corretamente, de um cenário de Buck Rogers!!

Deram-nos uma espécie de bebida quente, cujo gosto não se parecia com qualquer coisa que eu já tenha experimentado. Era deliciosa. Cerca de dez minutos depois, dois de nossos anfitriões vieram aos nossos aposentos, dizendo que eu os devia acompanhar. Não tive escolha e obedeci. Deixei o radiotelegrafista e nós andamos uma distância curta, entrando no que parecia um elevador.

Descemos por alguns momentos, a máquina parou e as portas se levantaram silenciosamente! Andamos, então por um longo corredor iluminado por luz rósea que pareciam emanar das próprias paredes Um dos seres acenou para que parássemos em frente a uma grande porta. Acima dela havia uma inscrição que eu não soube ler. A porta deslizou silenciosamente e eu fui convidado a entrar.. Um dos meus anfitriões falou: "Não tenha receio, Almirante, o senhor terá uma entrevista com o Mestre...".

Eu entrei e meus olhos se acomodaram à bela coloração que parecia estar enchendo completamente o aposento. Então comecei a ver o lugar onde estava. O que acolheu meus olhos foi a visão mais bonita que já tive em minha vida. Era realmente bela e maravilhosa demais para ser descrita. Era exótica e delicada. Não acho que exista uma palavra humana que possa descrever qualquer detalhe com justiça. Meus pensamentos foram interrompidos de um modo cordial por uma voz quente e rica, de timbre melodioso, "Eu lhe dou as boas vindas ao nosso território, Almirante." .

Vi um homem de feições delicadas, com as marcas dos anos no rosto. Estava sentado em uma longa mesa.

Convidou-me a sentar numa das cadeiras. Depois que me sentei, ele juntou as pontas dos dedos e sorriu, jovialmente falou com suavidade e disse o seguinte:

"Nós o deixamos entrar porque tem um nobre caráter e é famoso na Superfície da Terra, Almirante".

Superfície da Terra, eu disse a mim mesmo!

"Sim", responde o Mestre,"o senhor está no território dos Arianni, o Mundo Interior da Terra. Não prolongaremos sua Missão, e o senhor será escoltado com segurança para a superfície a até uma distância além. Mas agora, Almirante, eu lhe direi porque foi trazido aqui. Nosso interesse começou justamente depois que sua raça explodiu as primeiras bombas atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki, Japão. Foi nesse tempo de alarmante que mandamos nossas máquinas voadoras, os "Flugelrads", ao seu mundo na superfície para investigar o que sua raça havia feito. É claro que isso agora é passado, meu caro Almirante, mas eu devo continuar. Como vê, nunca interferimos antes em suas guerras e com seu barbarismo, mas agora somos obrigados, pois seu mundo aprendeu a forçar o uso de certos poderes que não são para os homens, principalmente o da energia atômica. Nossos emissários já entregaram mensagens aos governos de seu mundo e até agora eles não atenderam.

Agora, o senhor foi escolhido para testemunhar que nosso mundo existe. Como vê, nossa Ciência e Cultura estão muitos milhares de anos à frente de sua raça, Almirante."

Eu interrompi, "Mas o que isto tem a ver comigo, Senhor?"

Os olhos do Mestre pareceram penetrar profundamente na minha mente, e, depois de me estudar por alguns momentos, ele respondeu, "Sua raça alcançou o ponto sem volta, pois há aqueles dentre vós que prefeririam destruir o próprio mundo a abdicar de seus poderes, tal como os conhecem..."

Eu concordei com a cabeça e o Mestre continuou, "Em 1945 e depois, tentamos contatar sua raça, mas nossos esforços foram recebidos com hostilidade, nossos Flugelrads (Discos Voadores) foram alvejados. Sim, até perseguidos com maldade e animosidade pelos aviões de combate. Portanto agora eu lhe digo, meu filho, há uma grande tempestade se formando em seu mundo, uma fúria negra que não será extinta por muitos anos. Não haverá resposta em seus exércitos nem segurança em sua ciência. Ela poderá rugir até que cada flor de sua cultura esteja esmagada, e todas as coisas humanas niveladas num vasto caos. A última guerra foi apenas um prelúdio do que ainda está para vir para sua raça. Aqui nós vemos isso mais claramente a cada hora que passa... pode dizer que eu estou errado?"

"Não", respondi, "já aconteceu antes, em que a idade negra chegou e durou mais de quinhentos anos".

"Sim, meu filho," o Mestre respondeu, "a idade negra que virá para sua raça cobrirá a Terra como uma mortalha, mas eu acredito que alguns da sua raça viverão através da tempestade, e além disso, nada mais posso dizer. Vemos, a grande distância, um NOVO mundo saindo das ruínas de sua raça, procurando seus tesouros legendários e perdidos, e eles ficarão aqui, meu filho, a salvo sob nossa proteção.

Quando o tempo chegar, iremos novamente para ajudar a reviver sua cultura e sua raça. Talvez, então, vocês tenham aprendido a futilidade da guerra e de sua disputa e depois desse tempo, alguma parte de sua cultura e ciência lhes será devolvida, para recomeçar. Você, meu filho, deve voltar à Face da Terra com essa mensagem.. "

Com essas palavras finais, nosso encontro terminou. Fiquei por um momento como num sonho.. mas ainda assim eu sabia que era realidade, e, por alguma estranha razão, inclinei-me ligeiramente, por respeito ou por humildade, não sei qual.

De repente, fiquei novamente consciente de que os dois belos anfitriões que me haviam trazido aqui estavam ao meu lado. "Por aqui, Almirante", disse um. Virei-me mais uma vez antes de sair e olhei para trás, para o Mestre. Um sorriso gentil esboçou-se em seu rosto delicado e idoso. "Adeus, meu filho", exprimiu ele acenando com um gesto de paz com sua delgada mão, e nosso encontro verdadeiramente terminou.

Rapidamente passamos pela grande porta dos aposentos do Mestre e, mais uma vez, entramos no elevador. A porta, silenciosamente, abaixou e tornamos a subir. Um dos meus acompanhantes falou. "Agora precisamos apressar-nos, pois o Mestre não deseja mais atrasos em seu horário programado e o senhor deve retornar com sua mensagem para sua raça".

Eu nada disse. Tudo isso era quase inacreditável, e mais uma vez, meus pensamentos foram interrompidos quando paramos. Entrei no quarto e estava outra vez com meu radiotelegrafista. "Está tudo bem, Howie, está tudo bem."

Os dois seres nos levaram até o transporte que esperava, subimos, e logo chegamos ao avião. Os motores estavam ligados e embarcamos imediatamente. Toda a atmosfera parecia agora carregada com um certo ar de urgência. Depois que a porta foi fechada, o aparelho foi imediatamente levantado por aquela força invisível até atingirmos uma altitude de 2700 pés.

Duas das aeronaves foram ao nosso lado, guiando-nos de volta à nossa rota. Devo declarar aqui que o indicador de velocidade nada registrava, mas estávamos voando a uma grande velocidade.

Veio uma mensagem pelo rádio. "Nós o estamos deixando agora, Almirante, seus controles estão livres. Adeus!!"

Olhamos por um momento, enquanto os Flugelrads desapareciam no céu azul.

O avião, de repente, caiu como se houvesse sido apanhado num vácuo. Rapidamente recuperamos o controle. Não falamos por algum tempo. Cada um tinha seus pensamentos...

O DIÁRIO DE VOO CONTINUA

02:20 - Estamos novamente sobre vastas áreas de gelo e neve, a aproximadamente 27 minutos da base. Falamos com eles pelo rádio e eles respondem. Declaramos todas as condições normais... normais... A base expressa alívio com o restabelecimento de nosso contacto.

03h - Aterrissamos suavemente na base. Eu tenho uma missão...

FIM DO DIÁRIO

1 de março de 1947. Acabo de participar de uma reunião no Pentágono. Relatei integralmente o que descobri e a mensagem do Mestre, Tudo foi devidamente gravado. O Presidente foi avisado.

Fui detido por várias horas (seis horas e trinta e nove minutos, para ser exato). Fui exaustivamente interrogado pelas Forças de Segurança Máxima e por uma equipe médica. Foi uma grande provação!!! Fui colocado sob estrita vigilância pelo Serviço de Segurança dos Estados Unidos da América. ORDENARAM-ME QUE PERMANECESSE EM SILÊNCIO QUANTO A TUDO QUE DESCOBRI, PELO BEM DA HUMANIDADE!!! Inacreditável, e me lembraram de que sou um militar e de que devo obedecer ordens.

30/2/56: ÚLTIMA ANOTAÇÃO

Os últimos anos que passaram desde 1947 não foram bons... Faço agora minha última anotação neste diário singular. Terminando, devo declarar que, fielmente, mantive este assunto em segredo, conforme ordenado, por todos estes anos. Foi completamente contra meus princípios morais. Agora, parece-me pressentir a chegada da longa noite e esse segredo não morrerá comigo, mas, como deve ser com tudo que é verdade, deverá triunfar.

Ele pode ser a única esperança para a espécie humana. Eu vi a verdade e ela vivificou meu espírito e me libertou . Cumpri com meu dever para com o monstruoso complexo militar. Agora, a longa noite começa a aparecer, mas não haverá fim. Quando a longa noite do Ártico terminar, o Sol brilhante da Verdade voltará... e os que forem da escuridão cairão com a sua Luz... POIS EU VI AQUELA TERRA ALÉM DO POLO, AQUELE CENTRO DO GRANDE DESCONHECIDO.

FONTE: http://mensagensgalacticas.blogspot.com.br/

___________________________________________________________

Richard Evelyn Byrd, born on October 25, 1888, was Vice Admiral of the United States Navy and the first aviator pilot to explore the north and south poles from 1926 to 1947, the year in which he would have contacted a superior Civilization In the interior of the Earth and would make the most fantastic revelation in the history of Mankind in his Diary that was found after his death in 1957, because he was prevented under military oath to tell the world everything he saw and discovered in that "EARTH BEYOND POLO .. "THE CENTER OF THE GREAT UNKNOWN" ... Here is the account of his journey never imagined by the Humanity of the XXI century that only now begins to awaken and to know secrets that are being revealed to the world:

BASE ARCTIC FIELD, 19/2/1947

06h - We have completed the preparations for our flight to the north and we are flying with the full tanks, at 06:10.

06:20 - The mix in the starboard engine seemed to be very rich, the adjustments were made and the Pratt Whittneys are running smoothly.

07h - Radio check with the base camp. All is well and the reception by radio is normal.

07:40 - A small oil leak has been observed on the starboard engine, but the pressure indicator seems normal.

08h - Small turbulence coming from the east at an altitude of 2321 feet; Corrected to 1700 feet; The turbulence is over, but the stern wind increases; Made small adjustment on the throttle controls and the airplane is performing very well.

08:15 - Radio check with base camp, normal situation.

08:30 - New turbulence; Increased altitude to 2900 feet; Quiet flight again.

09:10 - Vastness of ice and snow below, noticing a yellowish coloration; Examination of this color pattern below; Noting also reddish or purple coloration. Circulating this area with two complete turns and returning to the stroke course. Check position again with the base of the field and transmitting information about the colorations on the ice and the snow below. Compass and gyroscope beginning to rotate and oscillate; We are unable to keep our course on the instruments. Guiding us by the Sun, but everything still looks good. The controls seem slow to respond but there is no indication of freezing.

09:15 - There seems to be mountains in the distance.

09:49 - It's been 29 minutes since the first view of the mountains; It is not an illusion. They are mountains consisting of a small chain that I have never seen before!

09:55 - Altitude change to 2950 feet, encountering heavy turbulence again.

10 am - We are crossing the small mountain range and still going north in the best possible way. Beyond the mountain range is what appears to be a valley with a small river running through it. There should not be a green valley below! Something is definitely wrong and abnormal here! We should be on ice and snow! There are large forests on the slopes of the mountains. Our navigation instruments are still spinning and the gyroscope is swinging back and forth.

10:05 AM - I raise the altitude to 1400 feet and execute a closed turn to the left, to better examine the valley below. It is green with moss or a very closed grass species. The light here seems different. I no longer see the sun.

We took another turn to the left and see what looks like a big beast beneath us. Looks like an elephant! No! You look more like a mammoth! It's unbelievable! Still, there he is! Decreasing altitude to 1000 feet and picking up binoculars to better examine the animal. Confirmed - definitely a mammoth-like animal! We report it to the base.

10:30 - Finding more undulating green hills. The external temperature indicator marks 74 degrees Fahrenheit (23 degrees Celsius). Continuing our course now. The navigation instruments now look normal. I'm intrigued by your performance. Attempt to contact base. The radio is not working!

11:30 - The field below is more flat and normal (if I can use that word). Ahead we see what looks like a city !! This is impossible! The airplane looks light or strangely buoyant. The controls refuse to respond !! My God!!! Beside our wings, right and left, are aircraft of a strange kind. They are fast approaching! They are disc shaped and radiate light. They are now close enough to see their insignia. They are a kind of Swastika! This is fantastic. Where are we? What happened? I pull the controls again. Do not respond !!! We were picked up by a claw of some kind.

11:35 - Our radio pops and a voice speaks in English with what is perhaps a slight Nordic or German accent! The message is, "Welcome, Admiral, you're in good hands." I noticed that our plane's engines stopped. The handset is under some strange control and is turning. The controls are useless.

11:40 - Received another message on the radio. We begin the landing now, and in moments the plane shakes slightly, and begins to descend, as if it had been caught in a huge elevator inv

sexta-feira, 8 de julho de 2016

O medo de ter uma vida comum ( The fear of having a common life )


O medo de ter uma vida comum

O grande pavor da nossa geração

Olha só pra sua vida e a sensação de estar dentro dela.

Ali estão todos os ingredientes que, no final, podem até resultar em um filme. Dor, sofrimento, derrota, mas também momentos mágicos, únicos, na mesma medida.

Ser você é imprevisível, cada acontecimento tem o sabor da exclusividade.

Pelo menos é o que parece quando se está focado no live streaming da coisa.

Quando você decide colocar em palavras o que se passou, automaticamente, tem seus pelos ouriçados pela excitação com os detalhes. A energia flui dentro de você. Ainda assim, essa sensação não chega sequer perto de como foi experimentar esses acontecimentos.

Em comparação com a experiência em si, o que antes era tão maravilhoso, começa a parecer desfocado, fosco.

A rua na qual você morava quando criança é muito menor do que você se lembra. A casa, então, é só uma casinha comum. A escola já nem existe mais. O cinema que você frequentava fugindo da aula virou uma igreja evangélica.

Mesmo os momentos mais ordinários têm seu charme, seu ar de grande saga.

O despertador toca, são 6 da manhã. Lá fora chove o bastante pra acinzentar o céu. Na cama, você se vira para o outro lado, revira, insiste mais um minuto ou dois, mas não tem jeito, hora de levantar.

Café com leite, pão com manteiga.

Ônibus, condução, metrô.

Trânsito.

Arroz com feijão, bife e batata-frita.

Lanche da tarde.

Metrô, condução, ônibus.

Mais trânsito.

Você cansado, precisa relaxar. Pode ser a novela, videogame, um filme, talvez algumas cervejas, conversa com os amigos ou um encontro com uma pessoa especial. Com sorte, pode ser que hoje role sexo.

Há dias em que, depois do trabalho, você precisa trabalhar ainda mais. Completar a renda. Ou, quem sabe, fazer um curso, se especializar.

Tudo muito comum, mas é a sua vida.

Talvez você esteja feliz com isso, sabendo que há um script que pode seguir e, ao final, encontre algum tipo de descanso que compense tudo. Pode ser que a mera intensidade das experiências alimente seu desejo de viver.

Mas pode ser que você esteja triste, frustrado, desejando mais. Deixar uma marca no mundo, criar um nome, inventar algo útil, ter patentes, ter um artigo na Wikipedia.

Há uma chance de que você esteja desconfiado de que isso tudo não signifique muita coisa para ninguém além de você mesmo. E, sabendo disso, pode ser que você esteja sonhando com um mundo, ideias, projetos, festas e a dissipação dessa aflição que nunca te deixa.

A verdade é que a sua é só uma vida comum, não importa o quão importante você pense que seja.

E tudo bem, né?


http://papodehomem.com.br/o-medo-de-ter-uma-vida-comum
_____________________________________________________________

The fear of having a common life
The great fear of our generation
Just look at your life and the feeling of being inside.
There are all the ingredients in the end may even result in a film. Pain, suffering, defeat, but also magical, unique moments to the same extent.
Being you is unpredictable, each event has the taste of uniqueness.
At least it seems when it is focused on live streaming of it.
When you decide to put into words what happened automatically have their ouriçados by the excitement with details. Energy flows within you. Still, that feeling does not even come close to how it was to experience these events.
Compared to the experience itself, what was so wonderful, it starts to look blurry, dull.
The street where you lived as a child is much smaller than you remember. The house, then, is just an ordinary house. The school does not even exist anymore. The movie you attended fleeing the classroom became an evangelical church.
Even the most ordinary moments have their charm, his air of great saga.
The alarm rings are 6 am. Outside it rains enough to gray out the sky. In bed, you turn to the other side, rolls, insists another minute or two, but no way, time to get up.
Coffee with milk, bread and butter.
Bus, driving, subway.
Traffic.
Rice and beans, steak and french fries.
Afternoon snack.
Subway, driving, bus.
More traffic.
You tired, need to relax. It may be novel, video game, a movie, maybe a few beers, chat with friends or a meeting with a special person. With luck, you may now roll sex.
There are days when, after work, you need to work even harder. Complete income. Or perhaps do a course to specialize.
All too common, but it's your life.
Maybe you're happy with it, knowing that there is a script that can follow and at the end, find some kind of rest that compensates for everything. It may be that the sheer intensity of the experiences feed your desire to live.
But it may be that you are sad, frustrated, wanting more. Leave a mark on the world, create a name, invent something useful, have patents have an article on Wikipedia.
There is a chance that you are suspicious that all this does not mean much to anyone but yourself. And knowing that, you may be dreaming of a world, ideas, projects, parties and the dissipation of this affliction that never leaves you.
The truth is that their is only an ordinary life, no matter how important you think it is.
And okay, right?


http://papodehomem.com.br/o-medo-de-ter-uma-vida-comum

terça-feira, 10 de maio de 2016

6 argumentos para ajudar a lidar com os seus medos ( 6 arguments to help deal with your fears )


Conheça 6 argumentos que podem abrir a sua mente e ajudar a lidar com os seus medos para viajar o mundo ou para realizar um grande sonho.

QUANDO EU DECIDI VIAJAR O MUNDO EU TIVE MEDOS SIM. AFINAL, QUEM NÃO TEM MEDOS? MAS A MELHOR PARTE FOI APRENDER A SUPERÁ-LOS. Eu levei dois anos economizando para realizar meu sonho de viajar o mundo e durante esse período minha cabeça me assombrava trazendo inseguranças. Me perguntava: “Será que eu estou fazendo a coisa certa?”, “O que será que vai acontecer na volta?”, “E o dinheiro? E se não for suficiente”, “Eu estou deixando a minha estabilidade. Será que tudo vai ficar bem?”.

Essas perguntas fantasmas que vinham lá do fundo do meu ser, de uma parte que eu parecia não controlar, me atormentavam e me faziam requestionar a minha decisão. Eu tive muitos altos e baixos. Dias de pura alegria com a certeza da minha decisão e outros de me jorrar em lágrimas com toda a insegurança que sentia. Mas eu consegui superar cada crise e hoje fica claro pra mim que o medo jamais deveria impedir a realização de um sonho. Viajar o mundo foi uma das experiências mais incríveis que vivi na minha vida e depois que realizamos as coisas entendemos que tudo é muito mais simples do que a nossa cabecinha complicada é capaz de compreender.

Você tem idéia de quantas pessoas sonham em viajar o mundo mas deixam de fazer por medo? Você tem idéia de quantas pessoas deixam de realizar vários sonhos na vida por medo? Então se você não quer aumentar essa estatística a primeira coisa que você precisa fazer é: APRENDA A LIDAR COM OS SEUS MEDOS!

O ser humano sempre vai ter medos. Isso é normal. Você não vai conseguir eliminá-los totalmente de primeira, mas você pode aprender a lidar com eles para não deixar que eles dominem a sua mente. E é aí que está toda a diferença.
6 argumentos pra ajudar a lidar com os seus medos:

ARGUMENTO 1 – O medo muitas vezes é irracional
Muitos medos estão rodeados de emoção. Para se tranquilizar busque mais informações e fatos e formule perguntas que ajudem a racionalizar o seu medo. Essa era a técnica que eu mais usava na época. Cada vez que um questionamento negativo vier te assombrar reflita na hora. Explorar respostas para perguntas que desafiam o seu medo amplia a sua visão e mostra caminhos que o medo impedia você de ver antes.

ARGUMENTO 2 – Nem tudo está sob o nosso controle
O ser humano sempre busca opções perfeitas, tentando ter o controle total sobre a sua vida. Mas infelizmente não funciona assim. Sua vida parece perfeita e sob controle, mas tudo pode mudar em um piscar de olhos. Durante toda a nossa vida seremos surpreendidos por vários obstáculos e vamos ter que aprender a lidar com eles. Se tentarmos sempre tomar apenas decisões perfeitas e “seguras” vamos nos privar de viver muitas coisas. Para alcançarmos resultados melhores é preciso assumir certos riscos.

AQUI FICA UMA DICA

Jamais se pergunte “será que eu estou fazendo a coisa certa?”. Essa é a pergunta mais filha da puta que existe! Não existe resposta pra ela. Toda vez que precisamos decidir entre A e B, vamos conhecer apenas o resultado da escolha feita. Você nunca vai conseguir saber se a outra teria sido pior ou melhor. A vida é assim. Acredite na sua escolha e entenda que cada caminho vai sempre trazer experiências diferentes.

ARGUMENTO 3 – É preciso experimentar
Toda vez que tentarmos fazer algo fora da nossa zona de conforto, provavelmente vamos sentir medos. Afinal, tudo que está fora dela é território desconhecido, é algo que ainda não experimentamos. E isso naturalmente, traz medo. Mas a forma mais eficiente de superar isso é experimentando. Fato! Você só vai conseguir saber as reais sensações e aprender o quanto é capaz depois que você experimentar. Mas o melhor é que depois de experimentar você acaba ampliando a sua zona de conforto.

ARGUMENTO 4 – Acredite no seu poder
Você com certeza tem muito mais poder e capacidade do que imagina. Nós não exploramos todo o nosso potencial e nos deixamos facilmente vencer pelos desafios que nos afrontam, por preguiça e por comodismo (por que o ser humano adora ficar na sua zona de conforto, mesmo que ele não esteja feliz com ela). Acredite em você e na sua capacidade. Superar os seus limites e medos traz uma deliciosa sensação de poder.

ARGUMENTO 5 – Amplie a sua visão
Entenda que para qualquer coisa que aconteça na vida não existe apenas uma solução. Existem várias. É tudo uma questão de perspectiva. Tendemos a ver apenas as soluções que já colocamos na nossa cabeça e o medo nos impede de ver além delas. Tente ampliar a sua visão quando pensar em questões geradas pelos seus medos. Sempre se pergunte sobre outras soluções e analise os problemas sob ângulos diferentes.

ARGUMENTO 6 – Ser positivo atrai coisas boas
O mundo está rodeado de energias, positivas e negativas. Se você só pensa que tudo vai dar errado o seu corpo vai naturalmente agir em direção a esse pensamento e vai atrair energias negativas. Se você pensa que tudo vai dar certo e estimula sempre pensamentos positivos o seu corpo age em favor disso e atrai energias positivas. A positividade ajuda a lidar com o medo. Toda vez que o medo te rodear, responda com um pensamento positivo e isso ajuda a tranquilizar.

Não, eu não li um texto que falava sobre isso e nem estudei psicologia para escrever sobre isso. Mas eu vivi na pele cada sensação de sentir, enfrentar e superar todos os meus medosnos últimos 4 anos da minha vida, quando eu fiz uma grande reviravolta ao decidir viajar o mundo por 2 anos. Aprendi vivendo a experiência e hoje posso dizer como foi maravilhoso conseguir superar cada um deles.

“A vida começa no final de sua zona de conforto.”
Neale Donald Walsch

A zona de conforto é o que impede a maioria das pessoas de realizar grandes coisas.

Fonte: http://projetoviravolta.com/6-argumentos-para-ajudar-a-lidar-com-os-seus-medos/?platform=hootsuite

______________________________________________________

Meet 6 arguments that can open your mind and help you deal with your fears to travel the world or to make a big dream.

WHEN I DECIDED TO TRAVEL THE WORLD I HAD FEARS YES. AFTER ALL, WHO HAS NO FEARS? BUT THE BEST PART WAS LEARNING TO OVERCOME THEM. I took two years saving to fulfill my dream of traveling the world and during this time my head haunted me bringing insecurities. I wondered: "Am I doing the right thing?", "What will it happen in the back?" "And the money? And if not enough, "" I'm leaving my stability. Will everything be all right? ".

These ghosts questions that were beyond the core of my being, a part that I could not seem to control, tormented and made me requestionar my decision. I have had many ups and downs. Days of pure joy with the assurance of my decision and other well me in tears with all the insecurity felt. But I managed to overcome each crisis and today it is clear to me that fear should never impede the fulfillment of a dream. Traveling the world was one of the most amazing experiences that I experienced in my life and then we do the things we understand that everything is much simpler than our tricky little mind can comprehend.

You know how many people dream of traveling the world but fail to do for fear? Do you have any idea how many people fail to realize many dreams in life for fear? So if you do not want to increase this statistic the first thing you need to do is: LEARN HOW TO DEAL WITH YOUR FEARS!

Human beings will always have fears. This is normal. You will not be able to eliminate them completely first, but you can learn to deal with them not to let them take over your mind. And therein lies all the difference.
6 arguments to help cope with their fears:

ARGUMENT 1 - Fear is often irrational
Many fears are surrounded with emotion. To reassure seek more information and facts and formulate questions that help to rationalize your fear. This was the technique I used most at the time. Every time a negative question comes haunt you reflect on time. Explore answers to questions that challenge your fear broadens your vision and shows ways that fear prevented you from seeing before.

ARGUMENT 2 - Not everything is under our control
Human beings always looks perfect options, trying to have total control over your life. But unfortunately it does not work like that.Her life seems perfect and in control, but everything can change in a heartbeat. Throughout our life we ​​will be surprised by a number of obstacles and we have to learn to deal with them. If we try to always take just perfect and "safe" decisions will deprive us of many things live. To achieve best results you need to take some risks.

HERE IS A TIP

Never ask "is that I'm doing the right thing?". That's the question most motherfucker there! There is no answer to it. Every time we need to decide between A and B, we know only the result of the choice made. You'll never get to know if the other would have been worse or better. Life is like this. Believe in your choice and understand that each path will always bring different experiences.

ARGUMENT 3 - You must experience
Every time we try to make something out of our comfort zone, we will probably feel fear. After all, everything outside it is uncharted territory, something that has not experienced. And this naturally brings fear. But the most efficient way to overcome this is experiencing. Fact! You will only get to know the real feelings and learn how can after you try. But the best is that once you try you end up expanding your comfort zone.

ARGUMENT 4 - Believe in your power
You sure have a lot more power and capacity than you think. We do not exploit our full potential and easily let us overcome the challenges we face, laziness and self-indulgence (why humans love to stay in your comfort zone, even if he is not happy with it).Believe in yourself and your ability. Overcome your limits and fears brings a delicious sense of power.

ARGUMENT 5 - Broaden your vision
Understand that for anything that happens in life there is only one solution. There's a lot. It's all a matter of perspective. We tend to see only the solutions that have put in our heads and fear prevents us from seeing beyond. Try to broaden your view when thinking of issues raised by their fears. Always ask about other solutions and analyze problems from different angles.

ARGUMENT 6 - Being positive attracts good things
The world is surrounded by energy, positive and negative. If you just think that everything will go wrong your body will naturally take action toward this thought and will attract negative energies. If you think everything is going to work and always encourages positive thoughts your body acts in favor of it and attracts positive energy.Positivity helps you deal with the fear. Whenever fear surround you, respond with a positive thinking and it helps reassure.

No, I have not read a text that talked about it and not studied psychology to write about it. But I lived in the skin every sense of feel, face and overcome all my medosnos last 4 years of my life, when I made a big turnaround to decide to travel the world for two years. I learned living the experience and today I can say how wonderful it was able to overcome each of them.

"Life begins at the end of your comfort zone."
Neale Donald Walsch

The comfort zone is what prevents most people to accomplish great things.

Source: http://projetoviravolta.com/6-argumentos-para-ajudar-a-lidar-com-os-seus-medos/?platform=hootsuite

terça-feira, 28 de julho de 2015

Texto da amiga Mary Ps ( Text friend Mary Ps )



"Enquanto o mundo escolhe ser "cada um por si"; Enquanto o mundo opta pelo egoísmo; Enquanto todos preferem pela falta de amor ao próximo, mas vivem querendo o amor dos outros para si, por conforto ou regalia; Enquanto todos fazem algo na espera de receber em troca, exigindo a gratidão ou recompensa; Enquanto o mundo prefere carregar o rancor ao invés de semear o perdão; Enquanto o mundo prefere a mentira e a omissão; Enquanto a maioria dos humanos prefere fingir vida boa exteriormente mas carrega um coração podre... Eu prefiro ser diferente! Mesmo que para todos estes eu seja a errada, a tola ou a burra, eu prefiro sempre pensar em mim e no próximo. Eu prefiro aprender pela bondade, me colocando no lugar dos outros. Eu vivo para amar, e assim poder ser amada. Eu ajudo por boa vontade. Eu perdôo para ser perdoada. Eu busco sempre pela verdade e sinceridade, mesmo que me custem os dedos. Eu me mostro do jeito que sou, estou e me sinto. Posso não ser perfeita, mas busco sempre melhorar, com alguns tropeços e um jeito meio torto, mas busco ser cada dia melhor do que fui." ♥
Cada um sabe a estrada que trilha... cada um escolhe o que semear... e cada um deixa a marca de seus frutos. Por isso, é importante saber o que plantar!

Por Mary Ps
______________________________________________________

"As the world chooses to be" every man for himself "; As the world opts for selfishness; While all prefer the lack of love of neighbor, but wanting to live the love of others for you, for comfort or regalia; While all do something on expects to receive in return, demanding gratitude or reward; As the world prefer to carry the grudge rather than sow pardon; As the world prefer the lie and the omission; While most humans would rather pretend outwardly good life but carries a heart rotten ... I prefer to be different! Even if for all these I'm wrong, foolish or stupid, I prefer always think of me and the next. I prefer to learn by kindness, putting myself in the shoes of others. I live to love, and thus to be loved. I help with good will. I forgive to be forgiven. I seek always the truth and sincerity, even if it will cost me my fingers. I show me the way I am, I am and I feel. I not perfect, but always seek to improve, with some stumbling and a way lopsided, but seek to be better every day than I was. " ♥

Every one knows the road track ... everyone chooses what to sow ... and each one leaves the mark of its fruits. So it is important to know what to plant!
By Mary Ps

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Desespero ( despair )


Desespero por estar sozinho nesse mundo,
sem ter com quem contar.
Sem amigos para abraçar nas horas tristes.
Perdido sem saber onde ir.
Sem sabe o que fazer da vida.
Desespero é o que sinto no coração.
Choro escondido para que ninguém
veja minha angustias.
As vezes penso em acabar com 
minha vida mas não tenho coragem.
Tenho vontade de fugir.
Pegar minha mochila e sair pelo mundo.
Sem amigos, sem emprego, sem amor,
É assim que estou nesse momento.
Culpado por ter feito alguém que amava,
e minha família sofrer por minha causa.
Um fantasma é como me sinto.
Nesse mundo, sendo algo que eu não sou.
Andando pela rua de óculos escuros
para que as pessoas não olhem em
meus olhos e sintam o quanto estou vazio.
É assim que me sinto agora.
Uma sobra nesse mundo,
Ajudando as outras pessoas,
Mas perdido no meu próprio mundo.
Nesse mundo de desespero e loucura.
Meu coração sangra.
Procuro uma luz no fim do tunel,
mas tudo que vejo são trevas.
E assim sigo pelo mundo me alimentando
da felicidade do mundo e dos amigos,
como um vampiro que procura
o sangue para sobreviver
Mas nesse coração só o que tem é tristeza
e um grande e profundo
DESESPERO

(por Gustavo Gonçalves Silveira)
___________________________________________________

Despair to be alone in this world,
without having to turn to.
No friends to embrace the sad hours.
A loss to know where to go.
No know what to do in life.
Despair is what I feel in my heart.
Crying hidden so no one
see my anguish.
Sometimes I think to end
my life but I have no courage.
I want to run away.
Grab my backpack and go around.
No friends, no job, no love,
That's how I am right now.
Guilty for having someone he loved,
and my family suffer because of me.
A ghost is how I feel.
In this world, being something I'm not.
Walking down the street wearing sunglasses
so people do not look at
my eyes and feel that I'm empty.
That's how I feel now.
A left this world,
Helping others
But lost in my own world.
In this world of despair and madness.
My heart bleeds.
Seeking a light at the end of the tunnel,
but all I see is darkness.
And so I go around the world feeding me
happiness of the world and friends,
as a vampire seeking
blood to survive
But this heart all you have is sadness
and a large, deep
DESPAIR

(by Gustavo Gonçalves Silveira)

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Quando me amei de verdade ( When I loved myself of truth )



Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é...Autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de... Amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é... Respeito.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama... Amor-próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é... Simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a... Humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é... Saber viver!

Kim e Alison McMillen
____________________________________________

When I loved myself of truth, I understood that in any event, I was in the right place at the right time, at the right moment.
And then, I could relax.
Today I know that this has name ... Self-esteem.
When I loved myself of truth, I realized that my anguish, my emotional suffering, is just a sign that I am going against my truths.
Today I know that this is ... Authenticity.
When I loved myself of truth, I stopped to wish that my life was different and I began to see that everything that happens contributes to my growth.
Today I call it ... Ripening.
When I loved myself of truth, I began to realize how offensive trying to force some situation or someone just to do what I want, even though is not the time or the person is not prepared, myself included.
Today I know that the name of this is ... Respect.
When I loved myself really started to get rid of everything that was not healthy ... People, tasks, everything and anything to put me down. At first my reason called this attitude of selfishness.
Today I know that is called ... self-esteem.
When I loved myself of truth, I stopped fearing my free time and gave up making big plans, I abandoned the megalomaniac projects of the future.
Today I do what feels right, what I like, when I want and at my own pace.
Today I know that this is ... Simplicity.
When I loved myself of truth, I gave up wanting to be right and, therefore, wrong many times less.
Today I discovered the ... Humility.
When I loved myself of truth, gave up be reliving the past and worrying about the future. Now, keep me in this, which is where life happens.
Today I live one day at a time. This is ... Fullness.
When I loved myself of truth, I realized that my mind can torment me and disappoint me. But when I put in the service of my heart, it becomes a great and valuable ally.
All this is ... Read live!

Kim and Alison McMillen

Promessas matrimoniais ( marriage vows )



Em maio de 98, escrevi um texto em que afirmava que achava bonito o ritual do casamento na igreja, com seus vestidos brancos e tapetes vermelhos, mas que a única coisa que me desagradava era o sermão do padre: "Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?" Acho simplista e um pouco fora da realidade. Dou aqui novas sugestões de sermões:

- Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado, lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade?

- Promete saber ser amiga e ser amante, sabendo exatamente quando devem entrar em cena uma e outra, sem que isso lhe transforme numa pessoa de dupla identidade ou numa pessoa menos romântica?

- Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar?

- Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e portanto a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela?

- Promete se deixar conhecer?

- Promete que seguirá sendo uma pessoa gentil, carinhosa e educada, que não usará a rotina como desculpa para sua falta de humor?

- Promete que fará sexo sem pudores, que fará filhos por amor e por vontade, e não porque é o que esperam de você, e que os educará para serem independentes e bem informados sobre a realidade que os aguarda?

- Promete que não falará mal da pessoa com quem casou só para arrancar risadas dos outros?

- Promete que a palavra liberdade seguirá tendo a mesma importância que sempre teve na sua vida, que você saberá responsabilizar-se por si mesmo sem ficar escravizado pelo outro e que saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina?

- Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja?

Sendo assim, declaro-os muito mais que marido e mulher: declara-os maduros

Martha Medeiros
________________________________________________

In May 98, I wrote a text in which he stated that he thought beautiful wedding ritual in the church, with their white dresses and red carpets, but the only thing that displeased me was the priest's sermon: "It promises to be faithful in joy and in sorrow, in sickness and in health, to love you and respect you until death do you part? "I think a bit simplistic and unrealistic. Give new suggestions here sermons:

- Promise not to let the passion make you a controlling person, but respect the individuality of your loved one, always remembering that it does not belong to you and is on your side by free will?

- Promises know to be friends and be lover, knowing exactly when to step in again and, without this you become a person of dual identity or a less romantic person?

- Promises to make the passage of years a coming of age via, not a way of charges for idealized dreams that have not come to fruition?

- Promises pleasure to be with the person you have chosen and be happy next to her simply because she was the person who best knows you and therefore better prepared to help you, and you to it?

- Promises to let you know?

- Promise you will continue to be a gentle, caring and polite person who will not use the routine as an excuse for their lack of humor?

- Promise you'll have sex without modesty, that will make children for love and will, and not because it is what is expected of you, and educate them to be independent and knowledgeable about the reality that awaits them?

- Promise you will not speak ill of the person you married only to boot laughter of others?

- Promises that freedom will follow word having the same importance it has always had in your life, you know you are responsible for yourself without being enslaved by another and know how to deal with her own loneliness, which eliminates any marriage?

- Promise you will be so yourself as it was minutes before entering the church?

Therefore, I declare them much more than husband and wife, declares mature

Martha Medeiros