Páginas

Guerra dos Farrapos

Guerra dos Farrapos

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

A CARTA DA TERRA


A CARTA DA TERRA

PREÂMBULO

Estamos diante de um momento crítico na história da Terra, numa época em que a humanidade deve escolher o seu futuro. À medida que o mundo torna-se cada vez mais interdependente e frágil, o futuro enfrenta, ao mesmo tempo, grandes perigos e grandes promessas. Para seguir adiante, devemos reconhecer que, no meio da uma magnífica diversidade de culturas e formas de vida, somos uma família humana e uma comunidade terrestre com um destino comum. Devemos somar forças para gerar uma sociedade sustentável global baseada no respeito pela natureza, nos direitos humanos universais, na justiça econômica e numa cultura da paz. Para chegar a este propósito, é imperativo que nós, os povos da Terra, declaremos nossa responsabilidade uns para com os outros, com a grande comunidade da vida, e com as futuras gerações.


Terra, Nosso Lar

A humanidade é parte de um vasto universo em evolução. A Terra, nosso lar, está viva com uma comunidade de vida única. As forças da natureza fazem da existência uma aventura exigente e incerta, mas a Terra providenciou as condições essenciais para a evolução da vida. A capacidade de recuperação da comunidade da vida e o bem-estar da humanidade dependem da preservação de uma biosfera saudável com todos seus sistemas ecológicos, uma rica variedade de plantas e animais, solos férteis, águas puras e ar limpo. O meio ambiente global com seus recursos finitos é uma preocupação comum de todas as pessoas. A proteção da vitalidade, diversidade e beleza da Terra é um dever sagrado.

A Situação Global

Os padrões dominantes de produção e consumo estão causando devastação ambiental, redução dos recursos e uma massiva extinção de espécies. Comunidades estão sendo arruinadas. Os benefícios do desenvolvimento não estão sendo divididos equitativamente e o fosso entre ricos e pobres está aumentando. A injustiça, a pobreza, a ignorância e os conflitos violentos têm aumentado e são causa de grande sofrimento. O crescimento sem precedentes da população humana tem sobrecarregado os sistemas ecológico e social. As bases da segurança global estão ameaçadas. Essas tendências são perigosas, mas não inevitáveis.

Desafios Para o Futuro

A escolha é nossa: formar uma aliança global para cuidar da Terra e uns dos outros, ou arriscar a nossa destruição e a da diversidade da vida. São necessárias mudanças fundamentais dos nossos valores, instituições e modos de vida. Devemos entender que, quando as necessidades básicas forem atingidas, o desenvolvimento humano será primariamente voltado a ser mais, não a ter mais. Temos o conhecimento e a tecnologia necessários para abastecer a todos e reduzir nossos impactos ao meio ambiente. O surgimento de uma sociedade civil global está criando novas oportunidades para construir um mundo democrático e humano. Nossos desafios ambientais, econômicos, políticos, sociais e espirituais estão interligados, e juntos podemos forjar soluções includentes.

Responsabilidade Universal

Para realizar estas aspirações, devemos decidir viver com um sentido de responsabilidade universal, identificando-nos com toda a comunidade terrestre bem como com nossa comunidade local. Somos, ao mesmo tempo, cidadãos de nações diferentes e de um mundo no qual a dimensão local e global estão ligadas. Cada um compartilha da responsabilidade pelo presente e pelo futuro, pelo bem- estar da família humada e de todo o mundo dos seres vivos. O espírito de solidariedade humana e de parentesco com toda a vida é fortalecido quando vivemos com reverência o mistério da existência, com gratidão pelo dom da vida, e com humildade considerando em relaçao ao lugar que ocupa o ser humano na natureza.

Necessitamos com urgência de uma visão compartilhada de valores básicos para proporcionar um fundamento ético à comunidade mundial emergente. Portanto, juntos na esperança, afirmamos os seguintes princípios, todos interdependentes, visando um modo de vida sustentável como critério comum, através dos quais a conduta de todos os indivíduos, organizações, empresas, governos, e instituições transnacionais será guiada e avaliada.


PRINCÍPIOS


I. RESPEITAR E CUIDAR DA COMUNIDADE DA VIDA


1. Respeitar a Terra e a vida em toda sua diversidade.

a. Reconhecer que todos os seres são interligados e cada forma de vida tem valor, independentemente de sua utilidade para os seres humanos.

b. Afirmar a fé na dignidade inerente de todos os seres humanos e no potencial intelectual, artístico, ético e espiritual da humanidade.

2. Cuidar da comunidade da vida com compreensão, compaixão e amor.

a. Aceitar que, com o direito de possuir, administrar e usar os recursos naturais vem o dever de impedir o dano causado ao meio ambiente e de proteger os direitos das pessoas.

b. Assumir que o aumento da liberdade, dos conhecimentos e do poder implica responsabilidade na promoção do bem comum.

3. Construir sociedades democráticas que sejam justas, participativas, sustentáveis e pacíficas.

a. Assegurar que as comunidades em todos níveis garantam os direitos humanos e as liberdades fundamentais e proporcionem a cada um a oportunidade de realizar seu pleno potencial.

b. Promover a justiça econômica e social, propiciando a todos a consecução de uma subsistência significativa e segura, que seja ecologicamente responsável.

4. Garantir as dádivas e a beleza da Terra para as atuais e as futuras gerações.

a. Reconhecer que a liberdade de ação de cada geração é condicionada pelas necessidades das gerações futuras.

b. Transmitir às futuras gerações valores, tradições e instituições que apóiem, a longo prazo, a prosperidade das comunidades humanas e ecológicas da Terra.

Para poder cumprir estes quatro amplos compromissos, é necessario:

II. INTEGRIDADE ECOLÓGICA


5. Proteger e restaurar a integridade dos sistemas ecológicos da Terra, com especial preocupação pela diversidade biológica e pelos processos naturais que sustentam a vida.

a. Adotar planos e regulamentações de desenvolvimento sustentável em todos os níveis que façam com que a conservação ambiental e a reabilitação sejam parte integral de todas as iniciativas de desenvolvimento.

b. Estabelecer e proteger as reservas com uma natureza viável e da biosfera, incluindo terras selvagens e áreas marinhas, para proteger os sistemas de sustento à vida da Terra, manter a biodiversidade e preservar nossa herança natural.

c. Promover a recuperação de espécies e ecossistemas ameaçadas.

d. Controlar e erradicar organismos não-nativos ou modificados geneticamente que causem dano às espécies nativas, ao meio ambiente, e prevenir a introdução desses organismos daninhos.

e. Manejar o uso de recursos renováveis como água, solo, produtos florestais e vida marinha de formas que não excedam as taxas de regeneração e que protejam a sanidade dos ecossistemas.

f. Manejar a extração e o uso de recursos não-renováveis, como minerais e combustíveis fósseis de forma que diminuam a exaustão e não causem dano ambiental grave.

6. Prevenir o dano ao ambiente como o melhor método de proteção ambiental e, quando o conhecimento for limitado, assumir uma postura de precaução.

a. Orientar ações para evitar a possibilidade de sérios ou irreversíveis danos ambientais mesmo quando a informação científica for incompleta ou não conclusiva.

b. Impor o ônus da prova àqueles que afirmarem que a atividade proposta não causará dano significativo e fazer com que os grupos sejam responsabilizados pelo dano ambiental.

c. Garantir que a decisão a ser tomada se oriente pelas consequências humanas globais, cumulativas, de longo prazo, indiretas e de longo alcance.

d. Impedir a poluição de qualquer parte do meio ambiente e não permitir o aumento de substâncias radioativas, tóxicas ou outras substâncias perigosas.

e. Evitar que atividades militares causem dano ao meio ambiente.

7. Adotar padrões de produção, consumo e reprodução que protejam as capacidades regenerativas da Terra, os direitos humanos e o bem-estar comunitário.

a. Reduzir, reutilizar e reciclar materiais usados nos sistemas de produção e consumo e garantir que os resíduos possam ser assimilados pelos sistemas ecológicos.

b. Atuar com restrição e eficiência no uso de energia e recorrer cada vez mais aos recursos energéticos renováveis, como a energia solar e do vento.

c. Promover o desenvolvimento, a adoção e a transferência eqüitativa de tecnologias ambientais saudáveis.

d. Incluir totalmente os custos ambientais e sociais de bens e serviços no preço de venda e habilitar os consumidores a identificar produtos que satisfaçam as mais altas normas sociais e ambientais.

e. Garantir acesso universal a assistência de saúde que fomente a saúde reprodutiva e a reprodução responsável.

f. Adotar estilos de vida que acentuem a qualidade de vida e subsistência material num mundo finito.

8. Avançar o estudo da sustentabilidade ecológica e promover a troca aberta e a ampla aplicação do conhecimento adquirido.

a. Apoiar a cooperação científica e técnica internacional relacionada à sustentabilidade, com especial atenção às necessidades das nações em desenvolvimento.

b. Reconhecer e preservar os conhecimentos tradicionais e a sabedoria espiritual em todas as culturas que contribuam para a proteção ambiental e o bem-estar humano.

c. Garantir que informações de vital importância para a saúde humana e para a proteção ambiental, incluindo informação genética, estejam disponíveis ao domínio público.

III. JUSTIÇA SOCIAL E ECONÔMICA

9. Erradicar a pobreza como um imperativo ético, social e ambiental.

a .Garantir o direito à água potável, ao ar puro, à segurança alimentar, aos solos não- contaminados, ao abrigo e saneamento seguro, distribuindo os recursos nacionais e internacionais requeridos.

b. Prover cada ser humano de educação e recursos para assegurar uma subsistência sustentável, e proporcionar seguro social e segurança coletiva a todos aqueles que não são capazes de manter- se por conta própria.

c. Reconhecer os ignorados, proteger os vulneráveis, servir àqueles que sofrem, e permitir-lhes desenvolver suas capacidades e alcançar suas aspirações.

10. Garantir que as atividades e instituições econômicas em todos os níveis promovam o desenvolvimeto humano de forma eqüitativa e sustentável.

a. Promover a distribuição eqüitativa da riqueza dentro das e entre as nações.

b. Incrementar os recursos intelectuais, financeiros, técnicos e sociais das nações em desenvolvimento e isentá-las de dívidas internacionais onerosas.

c. Garantir que todas as transações comerciais apóiem o uso de recursos sustentáveis, a proteção ambiental e normas trabalhistas progressistas.

d. Exigir que corporações multinacionais e organizações financeiras internacionais atuem com transparência em benefício do bem comum e responsabilizá-las pelas conseqüências de suas atividades.

11. Afirmar a igualdade e a eqüidade de gênero como pré-requisitos para o desenvolvimento sustentável e assegurar o acesso universal à educação, assistência desaúde e às oportunidades econômicas.

a. Assegurar os direitos humanos das mulheres e das meninas e acabar com toda violência contra elas.

b. Promover a participação ativa das mulheres em todos os aspectos da vida econômica, política, civil, social e cultural como parceiras plenas e paritárias, tomadoras de decisão, líderes e beneficiárias.

c. Fortalecer as famílias e garantir a segurança e a educação amorosa de todos os membros da família.

12. Defender, sem discriminação, os direitos de todas as pessoas a um ambiente natural e social, capaz de assegurar a dignidade humana, a saúde corporal e o bem-estar espiritual, concedendo especial atenção aos direitos dos povos indígenas e minorias.

a. Eliminar a discriminação em todas suas formas, como as baseadas em raça, cor, gênero, orientação sexual, religião, idioma e origem nacional, étnica ou social.

b. Afirmar o direito dos povos indígenas à sua espiritualidade, conhecimentos, terras e recursos, assim como às suas práticas relacionadas a formas sustentáveis de vida.

c. Honrar e apoiar os jovens das nossas comunidades, habilitando-os a cumprir seu papel essencial na criação de sociedades sustentáveis.

d. Proteger e restaurar lugares notáveis pelo significado cultural e espiritual.

IV.DEMOCRACIA, NÃO VIOLÊNCIA E PAZ

13. Fortalecer as instituições democráticas em todos os níveis e proporcionar-lhes transparência e prestação de contas no exercício do governo, participação inclusiva na tomada de decisões, e acesso à justiça.

a. Defender o direito de todas as pessoas no sentido de receber informação clara e oportuna sobre assuntos ambientais e todos os planos de desenvolvimento e atividades que poderiam afetá-las ou nos quais tenham interesse.

b. Apoiar sociedades civis locais, regionais e globais e promover a participação significativa de todos os indivíduos e organizações na tomada de decisões.

c. Proteger os direitos à liberdade de opinião, de expressão, de assembléia pacífica, de associação e de oposição.

d. Instituir o acesso efetivo e eficiente a procedimentos administrativos e judiciais independentes, incluindo retificação e compensação por danos ambientais e pela ameaça de tais danos.

e. Eliminar a corrupção em todas as instituições públicas e privadas.

f. Fortalecer as comunidades locais, habilitando-as a cuidar dos seus própios ambientes, e atribuir responsabilidades ambientais aos níveis governamentais onde possam ser cumpridas mais efetivamente.

14. Integrar, na educação formal e na aprendizagem ao longo da vida, os conhecimentos, valores e habilidades necessárias para um modo de vida sustentável.

a. Oferecer a todos, especialmente a crianças e jovens, oportunidades educativas que lhes permitam contribuir ativamente para o desenvolvimento sustentável.

b. Promover a contribuição das artes e humanidades, assim como das ciências, na educação para sustentabilidade.

c. Intensificar o papel dos meios de comunicação de massa no sentido de aumentar a sensibilização para os desafios ecológicos e sociais.

d. Reconhecer a importância da educação moral e espiritual para uma subsistência sustentável.

15. Tratar todos os seres vivos com respeito e consideração.

a. Impedir crueldades aos animais mantidos em sociedades humanas e protegê-los de desofrimentos.

b. Proteger animais selvagens de métodos de caça, armadilhas e pesca que causem sofrimento extremo, prolongado ou evitável.

c.Evitar ou eliminar ao máximo possível a captura ou destruição de espécies não visadas.

16. Promover uma cultura de tolerância, não violência e paz.

a. Estimular e apoiar o entendimento mútuo, a solidariedade e a cooperação entre todas as pessoas, dentro das e entre as nações.

b. Implementar estratégias amplas para prevenir conflitos violentos e usar a colaboração na resolução de problemas para manejar e resolver conflitos ambientais e outras disputas.

c. Desmilitarizar os sistemas de segurança nacional até chegar ao nível de uma postura não- provocativa da defesa e converter os recursos militares em propósitos pacíficos, incluindo restauração ecológica.

d. Eliminar armas nucleares, biológicas e tóxicas e outras armas de destruição em massa.

e. Assegurar que o uso do espaço orbital e cósmico mantenha a proteção ambiental e a paz.

f. Reconhecer que a paz é a plenitude criada por relações corretas consigo mesmo, com outras pessoas, outras culturas, outras vidas, com a Terra e com a totalidade maior da qual somos parte.

O CAMINHO ADIANTE

Como nunca antes na história, o destino comum nos conclama a buscar um novo começo. Tal renovação é a promessa dos princípios da Carta da Terra. Para cumprir esta promessa, temos que nos comprometer a adotar e promover os valores e objetivos da Carta.


Isto requer uma mudança na mente e no coração. Requer um novo sentido de interdependência global e de responsabilidade universal. Devemos desenvolver e aplicar com imaginação a visão de um modo de vida sustentável aos níveis local, nacional, regional e global. Nossa diversidade cultural é uma herança preciosa, e diferentes culturas encontrarão suas próprias e distintas formas de realizar esta visão. Devemos aprofundar e expandir o diálogo global gerado pela Carta da Terra, porque temos muito que aprender a partir da busca iminente e conjunta por verdade e sabedoria.


A vida muitas vezes envolve tensões entre valores importantes. Isto pode significar escolhas difíceis. Porém, necessitamos encontrar caminhos para harmonizar a diversidade com a unidade, o exercício da liberdade com o bem comum, objetivos de curto prazo com metas de longo prazo. Todo indivíduo, família, organização e comunidade têm um papel vital a desempenhar. As artes, as ciências, as religiões, as instituições educativas, os meios de comunicação, as empresas, as organizações não- governamentais e os governos são todos chamados a oferecer uma liderança criativa. A parceria entre governo, sociedade civil e empresas é essencial para uma governabilidade efetiva.


Para construir uma comunidade global sustentável, as nações do mundo devem renovar seu compromisso com as Nações Unidas, cumprir com suas obrigações respeitando os acordos internacionais existentes e apoiar a implementação dos princípios da Carta da Terra com um instrumento internacional legalmente unificador quanto ao ambiente e ao desenvolvimento.


Que o nosso tempo seja lembrado pelo despertar de uma nova reverência face à vida, pelo compromisso firme de alcançar a sustentabilidade, a intensificação da luta pela justiça e pela paz, e a alegre celebração da vida.

___________________________________________________________________

THE EARTH CHARTER
Preamble

We stand at a critical moment in Earth's history, a time when humanity must choose its future. As the world becomes increasingly interdependent and fragile, the future at once holds great peril and great promise. To move forward we must recognize that in the midst of a magnificent diversity of cultures and life forms we are one human family and one Earth community with a common destiny. We must join together to bring forth a sustainable global society founded on respect for nature, universal human rights, economic justice, and a culture of peace. Towards this end, it is imperative that we, the peoples of Earth, declare our responsibility to one another, to the greater community of life, and to future generations.

Earth, Our Home

Humanity is part of a vast evolving universe. Earth, our home, is alive with a unique community of life. The forces of nature make existence a demanding and uncertain adventure, but Earth has provided the conditions essential to life's evolution. The resilience of the community of life and the well-being of humanity depend upon preserving a healthy biosphere with all its ecological systems, a rich variety of plants and animals, fertile soils, pure waters, and clean air. The global environment with its finite resources is a common concern of all peoples. The protection of Earth's vitality, diversity, and beauty is a sacred trust.

The Global Situation


The dominant patterns of production and consumption are causing environmental devastation, the depletion of resources, and a massive extinction of species. Communities are being undermined. The benefits of development are not shared equitably and the gap between rich and poor is widening. Injustice, poverty, ignorance, and violent conflict are widespread and the cause of great suffering. An unprecedented rise in human population has overburdened ecological and social systems. The foundations of global security are threatened. These trends are perilous—but not inevitable.

The Challenges Ahead


The choice is ours: form a global partnership to care for Earth and one another or risk the destruction of ourselves and the diversity of life. Fundamental changes are needed in our values, institutions, and ways of living. We must realize that when basic needs have been met, human development is primarily about being more, not having more. We have the knowledge and technology to provide for all and to reduce our impacts on the environment. The emergence of a global civil society is creating new opportunities to build a democratic and humane world. Our environmental, economic, political, social, and spiritual challenges are interconnected, and together we can forge inclusive solutions.

Universal Responsibility


To realize these aspirations, we must decide to live with a sense of universal responsibility, identifying ourselves with the whole Earth community as well as our local communities. We are at once citizens of different nations and of one world in which the local and global are linked. Everyone shares responsibility for the present and future well-being of the human family and the larger living world. The spirit of human solidarity and kinship with all life is strengthened when we live with reverence for the mystery of being, gratitude for the gift of life, and humility regarding the human place in nature.

We urgently need a shared vision of basic values to provide an ethical foundation for the emerging world community. Therefore, together in hope we affirm the following interdependent principles for a sustainable way of life as a common standard by which the conduct of all individuals, organizations, businesses, governments, and transnational institutions is to be guided and assessed.

Principles

I. RESPECT AND CARE FOR THE COMMUNITY OF LIFE

1. Respect Earth and life in all its diversity.
a. Recognize that all beings are interdependent and every form of life has value regardless of its worth to human beings.
b. Affirm faith in the inherent dignity of all human beings and in the intellectual, artistic, ethical, and spiritual potential of humanity.

2. Care for the community of life with understanding, compassion, and love.
a. Accept that with the right to own, manage, and use natural resources comes the duty to prevent environmental harm and to protect the rights of people.
b. Affirm that with increased freedom, knowledge, and power comes increased responsibility to promote the common good.

3. Build democratic societies that are just, participatory, sustainable, and peaceful.
a. Ensure that communities at all levels guarantee human rights and fundamental freedoms and provide everyone an opportunity to realize his or her full potential.
b. Promote social and economic justice, enabling all to achieve a secure and meaningful livelihood that is ecologically responsible.

4. Secure Earth's bounty and beauty for present and future generations.
a. Recognize that the freedom of action of each generation is qualified by the needs of future generations.
b. Transmit to future generations values, traditions, and institutions that support the long-term flourishing of Earth's human and ecological communities.

In order to fulfill these four broad commitments, it is necessary to:

II. ECOLOGICAL INTEGRITY


5. Protect and restore the integrity of Earth's ecological systems, with special concern for biological diversity and the natural processes that sustain life.

a. Adopt at all levels sustainable development plans and regulations that make environmental conservation and rehabilitation integral to all development initiatives.
b. Establish and safeguard viable nature and biosphere reserves, including wild lands and marine areas, to protect Earth's life support systems, maintain biodiversity, and preserve our natural heritage.
c. Promote the recovery of endangered species and ecosystems.
d. Control and eradicate non-native or genetically modified organisms harmful to native species and the environment, and prevent introduction of such harmful organisms.
e. Manage the use of renewable resources such as water, soil, forest products, and marine life in ways that do not exceed rates of regeneration and that protect the health of ecosystems.
f. Manage the extraction and use of non-renewable resources such as minerals and fossil fuels in ways that minimize depletion and cause no serious environmental damage.

6. Prevent harm as the best method of environmental protection and, when knowledge is limited, apply a precautionary approach.
a. Take action to avoid the possibility of serious or irreversible environmental harm even when scientific knowledge is incomplete or inconclusive.
b. Place the burden of proof on those who argue that a proposed activity will not cause significant harm, and make the responsible parties liable for environmental harm.
c. Ensure that decision making addresses the cumulative, long-term, indirect, long distance, and global consequences of human activities.
d. Prevent pollution of any part of the environment and allow no build-up of radioactive, toxic, or other hazardous substances.
e. Avoid military activities damaging to the environment.

7. Adopt patterns of production, consumption, and reproduction that safeguard Earth's regenerative capacities, human rights, and community well-being.
a. Reduce, reuse, and recycle the materials used in production and consumption systems, and ensure that residual waste can be assimilated by ecological systems.
b. Act with restraint and efficiency when using energy, and rely increasingly on renewable energy sources such as solar and wind.
c. Promote the development, adoption, and equitable transfer of environmentally sound technologies.
d. Internalize the full environmental and social costs of goods and services in the selling price, and enable consumers to identify products that meet the highest social and environmental standards.
e. Ensure universal access to health care that fosters reproductive health and responsible reproduction.
f. Adopt lifestyles that emphasize the quality of life and material sufficiency in a finite world.

8. Advance the study of ecological sustainability and promote the open exchange and wide application of the knowledge acquired.
a. Support international scientific and technical cooperation on sustainability, with special attention to the needs of developing nations.
b. Recognize and preserve the traditional knowledge and spiritual wisdom in all cultures that contribute to environmental protection and human well-being.
c. Ensure that information of vital importance to human health and environmental protection, including genetic information, remains available in the public domain.

III. SOCIAL AND ECONOMIC JUSTICE


9. Eradicate poverty as an ethical, social, and environmental imperative.
a. Guarantee the right to potable water, clean air, food security, uncontaminated soil, shelter, and safe sanitation, allocating the national and international resources required.
b. Empower every human being with the education and resources to secure a sustainable livelihood, and provide social security and safety nets for those who are unable to support themselves.
c. Recognize the ignored, protect the vulnerable, serve those who suffer, and enable them to develop their capacities and to pursue their aspirations.

10. Ensure that economic activities and institutions at all levels promote human development in an equitable and sustainable manner.
a. Promote the equitable distribution of wealth within nations and among nations.
b. Enhance the intellectual, financial, technical, and social resources of developing nations, and relieve them of onerous international debt.
c. Ensure that all trade supports sustainable resource use, environmental protection, and progressive labor standards.
d. Require multinational corporations and international financial organizations to act transparently in the public good, and hold them accountable for the consequences of their activities.

11. Affirm gender equality and equity as prerequisites to sustainable development and ensure universal access to education, health care, and economic opportunity.
a. Secure the human rights of women and girls and end all violence against them.
b. Promote the active participation of women in all aspects of economic, political, civil, social, and cultural life as full and equal partners, decision makers, leaders, and beneficiaries.
c. Strengthen families and ensure the safety and loving nurture of all family members.

12. Uphold the right of all, without discrimination, to a natural and social environment supportive of human dignity, bodily health, and spiritual well-being, with special attention to the rights of indigenous peoples and minorities.
a. Eliminate discrimination in all its forms, such as that based on race, color, sex, sexual orientation, religion, language, and national, ethnic or social origin.
b. Affirm the right of indigenous peoples to their spirituality, knowledge, lands and resources and to their related practice of sustainable livelihoods.
c. Honor and support the young people of our communities, enabling them to fulfill their essential role in creating sustainable societies.
d. Protect and restore outstanding places of cultural and spiritual significance.

IV. DEMOCRACY, NONVIOLENCE, AND PEACE


13. Strengthen democratic institutions at all levels, and provide transparency and accountability in governance, inclusive participation in decision making, and access to justice.
a. Uphold the right of everyone to receive clear and timely information on environmental matters and all development plans and activities which are likely to affect them or in which they have an interest.
b. Support local, regional and global civil society, and promote the meaningful participation of all interested individuals and organizations in decision making.
c. Protect the rights to freedom of opinion, expression, peaceful assembly, association, and dissent.
d. Institute effective and efficient access to administrative and independent judicial procedures, including remedies and redress for environmental harm and the threat of such harm.
e. Eliminate corruption in all public and private institutions.
f. Strengthen local communities, enabling them to care for their environments, and assign environmental responsibilities to the levels of government where they can be carried out most effectively.

14. Integrate into formal education and life-long learning the knowledge, values, and skills needed for a sustainable way of life.
a. Provide all, especially children and youth, with educational opportunities that empower them to contribute actively to sustainable development.
b. Promote the contribution of the arts and humanities as well as the sciences in sustainability education.
c. Enhance the role of the mass media in raising awareness of ecological and social challenges.
d. Recognize the importance of moral and spiritual education for sustainable living.

15. Treat all living beings with respect and consideration.
a. Prevent cruelty to animals kept in human societies and protect them from suffering.
b. Protect wild animals from methods of hunting, trapping, and fishing that cause extreme, prolonged, or avoidable suffering.
c. Avoid or eliminate to the full extent possible the taking or destruction of non-targeted species.

16. Promote a culture of tolerance, nonviolence, and peace.
a. Encourage and support mutual understanding, solidarity, and cooperation among all peoples and within and among nations.
b. Implement comprehensive strategies to prevent violent conflict and use collaborative problem solving to manage and resolve environmental conflicts and other disputes.
c. Demilitarize national security systems to the level of a non-provocative defense posture, and convert military resources to peaceful purposes, including ecological restoration.
d. Eliminate nuclear, biological, and toxic weapons and other weapons of mass destruction.
e. Ensure that the use of orbital and outer space supports environmental protection and peace.
f. Recognize that peace is the wholeness created by right relationships with oneself, other persons, other cultures, other life, Earth, and the larger whole of which all are a part.

The Way Forward

As never before in history, common destiny beckons us to seek a new beginning. Such renewal is the promise of these Earth Charter principles. To fulfill this promise, we must commit ourselves to adopt and promote the values and objectives of the Charter.

This requires a change of mind and heart. It requires a new sense of global interdependence and universal responsibility. We must imaginatively develop and apply the vision of a sustainable way of life locally, nationally, regionally, and globally. Our cultural diversity is a precious heritage and different cultures will find their own distinctive ways to realize the vision. We must deepen and expand the global dialogue that generated the Earth Charter, for we have much to learn from the ongoing collaborative search for truth and wisdom.

Life often involves tensions between important values. This can mean difficult choices. However, we must find ways to harmonize diversity with unity, the exercise of freedom with the common good, short-term objectives with long-term goals. Every individual, family, organization, and community has a vital role to play. The arts, sciences, religions, educational institutions, media, businesses, nongovernmental organizations, and governments are all called to offer creative leadership. The partnership of government, civil society, and business is essential for effective governance.

In order to build a sustainable global community, the nations of the world must renew their commitment to the United Nations, fulfill their obligations under existing international agreements, and support the implementation of Earth Charter principles with an international legally binding instrument on environment and development.

Let ours be a time remembered for the awakening of a new reverence for life, the firm resolve to achieve sustainability, the quickening of the struggle for justice and peace, and the joyful celebration of life.


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Obrigado a todos os visitantes e seguidores ( Thanks to all visitors and followers )


Obrigado a todos os visitantes e seguidores, quando criei blog queria só ter um espaço para colocar videos e textos que eu gosto e assuntos que eu acho que as pessoas deveriam estar atentos sobre verdades do nosso mundo .. obrigado a todos por me fazerem chegar a mais de 10000 vizualizações .. continuem visitando o blog e se puderem comentem os textos e videos e opinem sobre o que gostariam de ver no blog e se gostariam de outras traduções em outras linguas ..
____________________________________________________________

Thanks to all visitors and followers, when I started my blog just wanted to have a space to put videos and texts that I like and issues that I think people should be aware of the truths about our world .. Thank you all for making me reach over 10,000 Ad views .. keep visiting the blog and if you can comment on the videos and texts and give opinions on what they would like to see on the blog and would like to further translations into other languages ​​..

terça-feira, 27 de novembro de 2012

TALVEZ ( MAYBE )

"Talvez eu venha a envelhecer rápido demais.
Mas lutarei para que cada dia tenha valido a pena.
Talvez eu sofra inúmeras desilusões no decorrer de minha vida. Mas farei que elas percam a importância diante dos gestos de amor que encontrei.
Talvez eu não tenha forças para realizar todos os meus ideais. Mas jamais irei me considerar um derrotado.
Talvez em algum instante eu sofra uma terrível queda. Mas não ficarei por muito tempo olhando para o chão.
Talvez um dia o sol deixe de brilhar. Mas então irei me banhar na chuva.
Talvez um dia eu sofra alguma injustiça. Mas jamais irei assumir o papel de vítima. Talvez eu tenha que enfrentar alguns inimigos. Mas terei humildade para aceitar as mãos que se estenderão em minha direção.
Talvez numa dessas noites frias, eu derrame muitas lágrimas. Mas não terei vergonha por esse gesto.
Talvez eu seja enganado inúmeras vezes. Mas não deixarei de acreditar que em algum lugar alguém merece a minha confiança. Talvez com o tempo eu perceba que cometi grandes erros. Mas não desistirei de continuar trilhando meu caminho.
Talvez com o decorrer dos anos eu perca grandes amizades. Mas irei aprender que aqueles que realmente são meus verdadeiros amigos nunca estarão perdidos.
Talvez algumas pessoas queiram o meu mal. Mas irei continuar plantando a semente da fraternidade por onde passar.
Talvez eu fique triste ao concluir que não consigo seguir o ritmo da música. Mas então, farei que a música siga o compasso dos meus passos.
Talvez eu nunca consiga enxergar um arco-íris. Mas aprenderei a desenhar um, nem que seja dentro do meu coração.
Talvez hoje eu me sinta fraco. Mas amanhã irei recomeçar, nem que seja de uma maneira diferente.
Talvez eu não aprenda todas as lições necessárias. Mas terei a consciência que os verdadeiros ensinamentos já estão gravados em minha alma.
Talvez eu me deprima por não ser capaz de saber a letra daquela música. Mas ficarei feliz com as outras capacidades que possuo.
Talvez eu não tenha motivos para grandes comemorações. Mas não deixarei de me alegrar com as pequenas conquistas.
Talvez a vontade de abandonar tudo torne-se a minha companheira. Mas ao invés de fugir, irei correr atrás do que almejo.
Talvez eu não seja exatamente quem gostaria de ser. Mas passarei a admirar quem sou. Porque no final saberei que, mesmo com incontáveis dúvidas, eu sou capaz de construir uma vida melhor.
E se ainda não me convenci disso, é porque como diz aquele ditado:
‘ainda não chegou o fim porque no final não haverá nenhum talvez e sim a certeza de que a minha vida valeu a pena e eu fiz o melhor que podia’.”

Aristóteles Onassis

_____________________________________________________________

"Maybe I will grow old too fast.

But I will fight for that every day was worth it.
Maybe I suffer many disappointments throughout my life. But they will lose their importance in the face of acts of love that I found.
Maybe I have not the strength to accomplish all my goals. But I will never consider myself a loser.
Maybe at some point I suffer a terrible fall. But do not stay too long staring at the floor.
Maybe one day the sun ceases to shine. But then I will bathe in the rain.
Maybe one day I suffer injustice. But I will never assume the role of victim. I may have to face some enemies. But I will have the humility to accept the hand that will be extended in my direction.
Maybe one of those cold nights, many tears I pour. But I will not be embarrassed by this gesture.
Maybe I'm wrong countless times. But I will certainly believe that somewhere someone deserves my confidence. Maybe in time I realize I made big mistakes. But do not give up to continue walking my way.
Perhaps in the years I miss great friendships. But I will learn that those who are really my true friends are never lost.
Maybe some people want my hurt. But I will continue to plant the seed of brotherhood where to go.
Maybe I'll be sad to conclude that I can not follow the rhythm of music. But then, that music will follow the rhythm of my footsteps.
I may never be able to see a rainbow. But learn to draw one, even if it is within my heart.
Maybe today I feel weak. But tomorrow I'll start over, even if in a different way.
Maybe I did not learn all the necessary lessons. But I have to realize that the true teachings are already written in my soul.
Maybe I depress myself for not being able to know the lyrics of that song. But I'll be happy with the other skills I possess.
I may not have great reason to celebrate. But I will certainly rejoice in small victories.
Perhaps the willingness to give up everything to become my companion. But instead of running, I will run after you crave.
Maybe I'm not exactly who I would be. But I shall wonder who I am. Because in the end I know that even with countless doubts, I am able to build a better life.
And if you have not convinced me that it is because as the saying says:
'Not yet reached the end because in the end there will be no and yes maybe certain that my life was worth it and I did the best I could.' "

Aristotle Onassis

Quero voltar a ser feliz ( I want to be happy again )

“DE TANTO VER TRIUNFAR AS NULIDADES, DE TANTO VER CRESCER AS INJUSTIÇAS, DE TANTO VER AGIGANTAR-SE OS PODERES NAS MÃOS DOS HOMENS O HOMEM CHEGA A DESANIMAR-SE DA VIRTUDE, A RIR-SE DA HONRA E A TER VERGONHA DE SER HONESTO” Rui Barsosa

"Fui criado com princípios morais comuns. Quando criança, ladrões tinham a aparência de ladrões e nossa única preocupação em relação à segurança era a de que os “lanterninhas” dos cinemas nos expulsassem devido às batidas com os pés no chão quando uma determinada música era tocada no início dos filmes, nas matinês de domingo.

Mães, pais, professores, avós, tios, vizinhos eram autoridades presumidas, dignas de respeito e consideração. Quanto mais próximos, e/ou mais velhos, mais afeto.
Inimaginável responder deseducadamente à policiais, mestres,aos mais idosos, autoridades.Confiávamos nos adultos porque todos eram pais e mães de todas as crianças da rua, do bairro, da cidade.
Tínhamos medo apenas do escuro, de sapos, de filmes de terror.
Hoje me deu uma tristeza infinita por tudo que perdemos. Por tudo que meus filhos um dia temerão. Pelo medo no olhar de crianças, jovens, velhos e adultos.
Matar os pais, os avós, violentar crianças, seqüestrar, roubar, enganar, passar a perna, tudo virou banalidade de notícias policiais, esquecidas após o primeiro intervalo comercial.
Agentes de trânsito multando infratores são exploradores, funcionários de indústrias de multas. Policiais em blitz são abuso de autoridade.
Regalias em presídios são matéria votada em reuniões. Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos.
Não levar vantagem é ser otário. Pagar dívidas em dia é bancar o bobo, anistia para os caloteiros de plantão. Ladrões de terno e gravata, assassinos com cara de anjo, pedófilos de cabelos brancos.
O que aconteceu conosco?
Professores surrados em salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas janelas e portas. Crianças morrendo de fome de morte. Que valores são esses?
Carros que valem mais que abraço, filhos querendo-os como brindes por passar de ano. Celulares nas mochilas dos recém saídos das fraldas.
TV, DVD, vídeo-games, o que vai querer em troca desse abraço, meu filho?
Mais vale um Armani do que um diploma. Mais vale um telão do que um papo. Mais vele um baseado do que um sorvete. Mais valem dois vinténs do que um gosto.
Que lares são esses?
Jovens ausentes, pais ausentes, droga presente e o presente uma droga.
O que é aquilo? Uma árvore, uma galinha, uma estrela, uma flor.
Quando foi que tudo sumiu ou virou ridículo?
Quando foi que esqueci o nome do meu vizinho?Quando foi que olhei nos olhos de quem me pede roupa, comida, calçado sem sentir medo?
Quando foi que me fechei?
Quero de volta a minha dignidade, a minha paz. Quero de volta a lei e a ordem, a liberdade com segurança. Quero tirar as grades da minha janela para tocar as flores. Quero sentar na calçada e ter a porta aberta nas noites de verão. Quero a honestidade como motivo de orgulho. Quero a retidão de caráter, a cara limpa e o olho no olho. Quero a vergonha, a solidariedade. Quero a esperança, a alegria. Teto para todos, comida na mesa, saúde a mil.
Não quero listas de animais em extinção. Não quero clone de gente, quero cópia das letras de músicas, cultura e ciência.
Eu quero voltar a ser feliz! Quero dizer basta a esta inversão de valores e ideais.
Quero calar a boca de quem diz: “ a nível de”, enquanto pessoa.
Abaixo o “TER”, viva o “SER”!
E viva o retorno da verdadeira vida, simples como uma gota de chuva, limpa como um céu de abril, leve como a brisa da manhã! E definitivamente comum, como eu.
Adoro o meu mundo simples e comum.
Vamos voltar a ser “gente”? Ter o amor, a solidariedade, a fraternidade como base. A indignação diante da falta de ética, de moral, de respeito... Discordar do absurdo. Construir sempre um mundo melhor, mais justo, mais humano, onde as pessoas respeitem as pessoas.
Utopia? Não...se você e eu fizermos nossa parte e contaminarmos mais pessoas, e essas pessoas contaminarem mais pessoas...hein?
Quem sabe?..."
____________________________________________________________________

"SEE MUCH OF THE triumph nonentities, OF BOTH SEE GROW injustices, SEE BOTH OF loom POWERS IN THE HANDS OF MEN MAN REACHES OF VIRTUE discourage UP, UP FOR A LAUGH AND HAVE THE HONOR OF BEING HONEST SHAME" Rui Barsosa


"I was raised with common moral principles. As a child, had the appearance of robbers and thieves our only concern regarding the safety was that the" ushers "thrown out in cinemas due to the beats with your feet on the ground when a particular song was played in the early films, the Sunday matinees.
Mothers, fathers, teachers, grandparents, uncles, neighbors were presumed authorities, worthy of respect and consideration. The closer and / or older, more affection.
Unimaginable deseducadamente respond to police, teachers, the elderly, autoridades.Confiávamos in adults because they were all parents of all children in the street, the neighborhood, the city.
We were just afraid of the dark, of frogs, of horror films.
Today gave me infinite sadness for everything that we lost. For all my children one day will fear. The fear in the eyes of children, youth, and older adults.
Kill the parents, grandparents, children rape, kidnap, steal, deceive, to cheat, everything turned banality of police news, forgotten after the first commercial break.
Agents traffic fining offenders are explorers, officers of industries fines. Police blitz on abuse of authority are.
Perks in prisons are matters voted at meetings. Human rights for criminals, unlimited obligations to honest citizens.
Do not take advantage is to be sucker. Paying debts on time is play the fool, amnesty for defaulters on duty. Thieves in suits and ties, angel-faced murderers, pedophiles white hair.
What happened to us?
Teachers in shabby classrooms, traders threatened by drug dealers, bars on our windows and doors. Children starving to death. What are these values?
Cars that are worth more than hug, children wanting them as gifts for passing grade. Cell Phones in the backpacks of fresh out of diapers.
TV, DVD, video-games, which will want in exchange for that hug, my son?
An Armani Better than a diploma. Better a big screen than a chat. More than one based watch an ice cream. Worth two pennies more than a taste.
What are these homes?
Young absent, absent fathers, drug present and this sucks.
What is that? A tree, a chicken, a star, a flower.
When did it all disappeared or turned ridiculous?
When did I forget the name of my neighbor? Was when I looked into the eyes of anyone who asks me clothes, food, shoes without fear?
When I was closed?
I want back my dignity, my peace. I want to back law and order, freedom with security. I want to get the bars of my window to touch the flowers. I sit on the curb and have the door open on summer nights. I want honesty as a source of pride. I uprightness of character, clean face and eye to eye. I want the shame, solidarity. I hope, joy. Ceiling for all, food on the table, health thousand.
I do not want lists of endangered animals. I do not want to clone people, I want to copy the lyrics, culture and science.
I want to go back to being happy! I mean just this reversal of values ​​and ideals.
I want to shut up anyone who says "the level" as a person.
Below the "TER", living the "BE"!
And live the return of real life, simple as a raindrop, as a clean April sky, light as the morning breeze! And definitely common, like me.
I love my world simple and common.
Let's go back to "us"? Having love, solidarity, fraternity as a base. The outrage at the lack of ethics, morals, respect ... Disagree nonsense. Always build a better, more just, more humane, where people meet people.
Utopia? No. .. if you and I do our part and contaminarmos more people, and these people contaminate more people ... huh?
Who knows? ... "

The Power of Words (O Poder das Palavras) Mude suas Palavras, Mude seu Mundo

video

Metafora Ambiental ( Environmental Metafora )

"Era uma vez, vez uma vaca feliz, saudável e bonita. Mas nem tudo é perfeito. A vaca tinha hóspedes.
Alguns bernes se hospedaram nela e alimentavam-se da sua carne. Mas os bernes eram poucos e pequenos...A vaca e os bernes viviam em paz.
Aconteceu, entretanto, que os bernes começaram a se multiplicar. Os bernes aumentavam, mas a vaca não aumentava, confirmando a lei de Malthus, que disse que “os alimentos crescem em razão aritmética, enquanto as bocas crescem em razão geométrica.”
O couro da vaca se encheu de calombos que indicavam a presença dos bernes. Mesmo assim, a vaca continuava saudável. Ela tinha muita carne de sobra.
Foi então, que uma coisa inesperada aconteceu: alguns bernes sofreram uma mutação genética e passaram a crescer em tamanho. Foram crescendo, ficando cada vez maiores, e com uma voracidade também cada vez maior.
Os vermes magrelas ficaram com inveja dos vermes grandes e trataram de tomar providências para que eles crescessem também.
O corpo da pobre vaca passou a ser uma orgia de crescimento. Os bernes só falavam numa coisa: "É preciso crescer!" Mas a vaca não crescia. Ficava do mesmo tamanho.
De tanto ser comida pelos bernes, a vaca ficou doente. Emagreceu.
Mas os bernes nada sabiam sobre a vaca em que moravam. Para perceberem, seria preciso que eles estivessem do lado de fora.
Os bernes estavam dentro da vaca. Assim, não percebiam que sua voracidade estava matando-a .
A vaca morreu!...E com ela, morreram os bernes!...
Fizeram autópsia da vaca. O relatório do legista observou que os bernes mortos eram excepcionalmente grandes, bem nutridos, muitos deles chegando à obesidade.


“James Lovelock é um cientista que sugeriu que a nossa Terra é um organismo vivo, como a vaca da parábola. Sendo uma coisa viva, ela pode ter saúde ou ficar doente.”

Sua conclusão é que nós, os bernes, já estragamos a Terra, “a nossa vaca,” além de qualquer possibilidade de cura. A Terra está doente.
O crescimento das nações está provocando profundas mudanças climáticas irreversíveis: a atmosfera está se aquecendo, as geleiras estão derretendo, a poluição do meio ambiente aumenta, acontecem catástrofes naturais numa intensidade desconhecida.
Esses são os sintomas dos estertores da nossa Terra, destruída pela voracidade dos bernes. “E o pior está por acontecer, ele diz. Ecossistemas inteiros serão extintos, e os sobreviventes terão de se adaptar a um clima infernal...” (Folha de S.Paulo, caderno Mais, 22/ 01/06, pág. 9).
Observando as discussões políticas, não vejo nenhum político que fale sobre a saúde da vaca. Ao contrário, os políticos, tanto de direita quanto de esquerda, só fazem prometer aos bernes um engordamento cada vez maior.
Por uma boa razão: os eleitores são os bernes e não a vaca.
O candidato que falar sobre a saúde da vaca e o emagrecimento dos bernes, com toda certeza, perderá a eleição.
Quando o que está em jogo é a saúde da vaca, não se pode confiar nos bernes...
Esta nossa Mãe - Terra, é um organismo vivo, como a vaca da parábola. ...e, nós, a estamos MATANDO!"
________________________________________________________________

"Once upon a time, once a cow happy, healthy and beautiful. But not everything is perfect. Cow had guests.

Some grubs stayed there and fed on his flesh. But the grubs were few and small ... The cow and the grubs live in peace.
It happened, however, that the grubs began to multiply. The grubs increased, but the cow did not increase, confirming the law of Malthus, who said "foods grow in arithmetical ratio, while the mouths grow in geometrical ratio."
The cow leather filled with bumps indicating the presence of grubs. Even so, the cow still healthy. She had plenty of meat left.
It was then that an unexpected thing happened: some grubs suffered a genetic mutation and began to grow in size. Were growing, getting bigger, and with a voracity also increasing.
The worms were jealous of skinny big worms and tried to make arrangements for them to grow well.
The body of the poor cow has become an orgy of growth. The grubs spoke only one thing: "You need to grow up!" But the cow did not grow. Was the same size.
In either be eaten by the grubs, the cow got sick. Lost weight.
But bernes knew nothing about the cow who lived. To realize would require that they were on the outside.
The grubs were inside the cow. So, do not realize that their greed was killing her.
The cow died ... And with it died the grubs! ...
Autopsy did cow. The coroner's report noted that the dead grubs were exceptionally large, well-nourished, many of them coming to obesity.

"James Lovelock is a scientist who suggested that our Earth is a living organism, such as the parable of the cow. Being a living thing, it can be healthy or sick. "
His conclusion is that we, the grubs, already spoiled the earth, "our cow," beyond any possibility of healing. The Earth is sick.
The growth of nations is causing deep irreversible climate change: the atmosphere is warming, glaciers are melting, pollution of the environment increases, natural disasters happen in an unknown intensity.
These are the symptoms of the death throes of our Earth, destroyed by the greed of grubs. "And the worst is about to happen, he says. Whole ecosystems will be extinguished, and the survivors will have to adapt to a climate infernal ... "(Folha de S. Paulo, Mais, 22/01/06, p. 9).
Observing the political discussions, see no political talk about the health of the cow. Unlike politicians, both right and left, promising to make only one bernes nourishment increasing.
For good reason: voters are grubs and not the cow.
The candidate who talk about the health of the cow and the slimming of grubs, most certainly lose the election.
When what is at stake is the health of the cow, you can not trust the grubs ...
This our Mother - Earth is a living organism, such as the parable of the cow. And ... we, the're KILLING! "

By Anderson Marques

É curioso, não faço por querer mas as vezes acontecem coisas ou vejo algo que me fazem refletir e ligar um ponto ao outro. Vem do nada, simplesmente vem! Os pensamentos não param e é engraçado porque percebo meu cérebro trabalhando como se fossem aquelas peças internas de relógios redondas e dentadas, uma ligada a outra, sabe como é? Então, dessa forma eu penso em uma coisa que liga a outra, e a outra, e a outra, enfim, meio louco!

Estava vendo minha cadela fazendo suas necessidades exatamente em cima do jornal como fora ensinada, demorou um tempo até que ela ainda novinha aprendesse, hoje já é uma idosa, bem velhinha, está comigo a mais de 12 anos. Sempre o mesmo ritual, quando ela fazia suas necessidades pela casa Elaine imediatamente a repreendia e mostrava o local onde deveria ser feito, sempre no mesmo instante, quando ela fazia e nós não detectávamos na hora não brigávamos, também pudera não adiantaria nada visto que certamente ela não saberia porque estava sendo punida, dessa forma seria além de uma grande injustiça uma tremenda crueldade.

Nessa mesma linha de raciocínio percebi que o mesmo acontecera com minhas filhas, sempre que agiam de forma eram repreendidas e ensinadas a fazerem o certo na mesma hora, nunca depois de muito tempo. Se uma criança não sabe porque está sendo punida porque não lembra do que fez, a punição é cruel e injusta, sendo assim até com as crianças convém punir em tempo hábil.

Ou seja, a memória é mais importante do que se imagina. A memória é aquilo que somos. Quando somos criança absorvemos aquilo que dizem a nosso respeito. Para uma pessoa dizem, “Você é brasileiro, teu nome é José, e sua mãe é fulana e assim por diante.” Você é o resultado de tudo que dizem que você é e mais as experiências que você teve acrescido as suas tendências genéticas. Dependendo da sociedade que nascer, você será totalmente diferente. Se você tivesse nascido nos EUA, hoje seria outra pessoa. Se tivesse nascido na Etiópia, também. Tendências naturais fora e além de seu controle equivalem a pelo menos 90% do que você é. E isso é um fato cientifico”.

Perceba que a nossa própria personalidade não pode se desenvolver dentro de nenhum sistema cultural sem memória. Imagine se você ensina a seu filho quem ele é, sobre sua família, suas raízes, sua cultura e assim por diante e ele esquece tudo no dia seguinte? Não haveria evolução alguma. Como somos aquilo que lembramos que somos, a teoria da reencarnação cai por terra ai. ( Devem estar pensando, sabia que tinha alguma coisa), e tem, uma coisa liga a outra, eu avisei antes!!

O karma também é um conceito difícil de engolir. É como se fosse o próprio Deus. Ele fica anotando tudo que você faz, momento a momento, e depois manipula as circunstâncias para você sofrer pelo que fez ou conseguir bençãos. Esse tipo de sistema não é compatível com o livre arbítrio. Ou seja, para o karma fazer você pagar ou ser recompensando, ele teria que manipular pessoas e circunstâncias para esse fim. Sendo assim, as pessoas não seriam livres. Ou pelo menos a grande maioria de suas ações não seriam geradas por si próprias, pois elas teriam que cumprir a vontade do Karma. E assim o Karma estaria usando uma pessoa para punir outra. Digamos que usa alguém para lhe dar uma surra porque você deu uma surra em outra pessoa em outra vida. Essa pessoa que está te dando uma surra hoje para puni-la vai ser punida também? Se você está sendo estuprada, você está pagando pelo que fez antes, então eu pergunto. o estuprador está apenas cumprindo a vontade de Deus fazendo você pagar ou estaria ele iniciando a ação e gerand um novo karma? E se é o caso, então você não pode explicar todos os seus sofrimentos baseando-se em vidas passadas. Muito do seu sofrimento seria sem causa mesmo. Percebe? O tipo de controle que o karma teria que ter sobre todas as pessoas seria algo incompreensível!!!

O arrependimento só é possível com a memória. Se eu não lembro que fiz algo ruim, então como vou me arrepender? No campo individual a teoria da reencarnação é totalmente inútil. Se você aceitar a teoria da reencarnação, tudo de ruim que acontece com você, será sempre atribuído à uma punição por faltas passadas e ai agüenta calado. Aceita numa boa. Consola-se pensando que é um criminoso e que tudo que lhe acontece é merecido. É por isso que sociedades que aceitam essa teoria não trouxeram evolução social. Quem nasce pobre se conforma com a pobreza pensando que na próxima vida vai nascer melhor já que foi bom nessa. E o que é ser bom? Agüentar tudo calado e aceitar sua condição social é bondade? A história mostra que não. A Europa só evoluiu e arrastou o resto do mundo quando pessoas em condições sociais inferiores se revoltaram. Se acreditassem na reencarnação nunca fariam isso.

Essa crença leva ao conformismo. Já que todos são criminosos, aceitam todo sofrimento numa boa sem reclamar. Se o ser humano aceitasse o sofrimento, o mundo não teria evoluído. Qualquer teoria que leve a aceitação do sofrimento é nociva à sociedade. O sofrimento tem que ser reduzido ou eliminado o máximo possível. Qualquer tipo de sofrimento é injusto, sobretudo se o sofrimento vem para castigá-lo por algo que você não faz a menor ideia de ter feito. Só isolamos alguém na cadeia para reduzir o sofrimento e não para aumenta-lo. É melhor um sofrendo que vários. Ou não?

A teoria da reencarnação surgiu para explicar a injustiça do nascimento. Uma pessoa há muito tempo atrás perguntou, “Por que uns nascem superiores e outros inferiores?” Isso é uma injustiça! Daí ele desenvolveu a teoria da reencarnação para explicar a justiça e injustiça do mundo. Só que ela não funciona por causa dos fatores citados acima. Ao invés de trazer justiça ao sistema, ela trás mais injustiças ainda.

"Porque um ser humano sente pena do outro? Por causa de uma coisa chamada empatia. E não por causa da reencarnação. A empatia depende muito da sensibilidade de cada um. Tem gente que nunca consegue se por no lugar do próximo, e ai se mostram muito insensíveis. A reencarnação procura mostrar que os insensíveis ainda terão que nascer muito para desenvolver a sensibilidade. Mas o fato é que a sociedade de cada um que determina esse grau de sensibilidade e não o individuo mesmo. Quanto mais avançada moralmente uma civilização maior à capacidade de ser por no lugar do outro. Exemplos, quanto mais avançada é a cultura de um individuo mais sensível ele é. Europeus se preocupam com os direitos dos animais porque suas necessidades básicas foram preenchidas. Crianças da Etiópia sofrem tanto que não conseguem pensar em ninguém a não ser elas mesmas. Se a reencarnação fosse um fato, ninguém nasceria em condições que promovessem a insensibilidade e a violência e sociedades menos evoluídas desenvolvem mais esses fatores. De novo a reencarnação se mostra elitista. Ela está dizendo de fato que quem é sensível é mais evoluído moralmente, esquecendo de todos os fatores sociais e naturais que levam uma pessoa a ser assim."

Há quem acredite que o esquecimento do passado seja coerente e necessário, já eu acho completamente injusto,cruel e desnecessário!!!

Talvez o erro esteja em mim, admito, em não compreender e aceitar, afinal como disse Allan Kardec, dar um corpo “evoluído” para a alma de um negro, menos “evoluído” segundo ele, seria como dar um excelente piano a alguém que não sabe tocar esse instrumento!!!
__________________________________________________________________

Funny, I do not want to but sometimes things happen or see something that makes me reflect and connect one point to another. It comes from nowhere, just come! The thoughts do not stop and realize it's funny because my brain working like those internal parts of watches round and bites, one linked to another, you know? So that way I think of one thing that binds to another, and another, and another, and finally, a little crazy!


I was watching my dog ​​doing your needs exactly on top of the newspaper as she had been taught, it took a while to learn that she still brand new, today it is an old, very old, is with me for over 12 years. Always the same ritual when she needs the house was immediately reprimanded and Elaine showed the place where it should be done, always at the same moment, and when she did not detectávamos time we fought not also been able to not do any good because certainly she would not know because I was being punished in this way would be a great addition to a tremendous injustice cruelty.

Along this same line of reasoning realized that the same happened with my daughters, when they acted so were scolded and taught to do the right at the same time, never after a long time. If a child does not know why it is being punished because he did not remember, the punishment is cruel and unfair, so even with children should be punished in a timely manner.

That is, the memory is more important than you think. Memory is what we are. When we are children absorb what they say about us. For a person to say, "You're Brazilian, thy name is Joseph, and his mother is So-and so on." Are you the result of all that say you are and the more experiences you had increased their genetic tendencies. Depending on the society to be born, you will be totally different. If you were born in the U.S., today would be someone else. If you were born in Ethiopia, too. Natural tendencies outside and beyond their control equals at least 90% of what you are. And that is a scientific fact. "

Note that our own personality can not develop in any cultural system without memory. Imagine if you teach your child who he is, about his family, their roots, their culture and so on and he forgets everything the next day? There would be some evolution. How we remember what we are the reincarnation theory falls apart al. (They must be thinking, I knew I had something), and has, one thing connects to another, I told you before!

Karma is also a difficult concept to swallow. It is like God Himself. He is writing down everything you do, moment to moment, and then manipulates circumstances to suffer for what you did or get blessings. This type of system is not compatible with free will. That is, to make you pay or karma be rewarding, it would have to manipulate people and circumstances for that purpose. Therefore, people would not be free. Or at least the vast majority of its shares would not be generated for themselves, because they would have to fulfill the will of Karma. And so the Karma would be using a person to punish another. Say someone uses to give you a spanking because you took a beating on another person in another life. That person who is giving you a spanking today to punish her will be punished too? If you are being raped, you're paying for what you did before, so I wonder. the rapist is just doing the will of God making you pay or he would be starting a new Gerand action and karma? And if that is the case then you can not explain all his sufferings based on past lives. Much of their suffering would not cause it. Get it? The type of control that karma would have on all people would be incomprehensible!!

Repentance is possible only with memory. I do not remember if I did something bad, then how will I regret? In individual field theory of reincarnation is totally useless. If you accept the theory of reincarnation, everything bad that happens to you, will always be assigned to a punishment for past sins and woe bears silent. Accepts a good. Console yourself thinking that it is a criminal and that everything that happens to you is deserved. That is why companies who accept this theory did not bring social change. Who is born poor conforms with poverty thinking that will be born in the next life better since this was good. And what is to be good? Endure all silent and accept their social status is goodness? History shows that no. Europe has only evolved and dragged the rest of the world when people in lower social conditions revolted. If you believe in reincarnation would never do that.

This belief leads to conformity. Since all are criminals, accept all suffering in a good uncomplainingly. If humans accept suffering, the world would not have evolved. Any theory that leads to acceptance of suffering is harmful to society. The suffering has to be reduced or eliminated as much as possible. Any kind of suffering is unjust, especially if suffering comes to punish him for something that you do not have the slightest idea done. Only isolate someone in jail to reduce suffering and not to increase it. It is better that several suffering one. Or not?

The theory of reincarnation emerged to explain the injustice of birth. Someone long ago asked, "Why some are born superior and others inferior?" This is injustice! Then he developed the theory of reincarnation to explain the justice and injustice of the world. Only it does not work because of the factors mentioned above. Instead of bringing the justice system, it also brings more injustices.

"For a human being feels sorry for the other? Because of a thing called empathy. And not because of reincarnation. Empathy depends heavily on the sensitivity of each. Some people never get a place in the next, and there is show very insensitive. Reincarnation seeks to show that the insensitive yet born will have a lot to develop sensitivity. But the fact is that each society determines that this degree of sensitivity and not the same individual. morally The more advanced a civilization higher the ability to be in place by the other. examples, the more advanced the culture of an individual more sensitive it is. Europeans care about animal rights because their basic needs were met. Ethiopian Children suffer so much that they can not think for no one but themselves. If reincarnation were a fact, anyone born in conditions which foster insensitivity and violence and less evolved societies develop more of these factors. Again reincarnation shown elitist. indeed She is saying that whoever is sensitive is more morally evolved, forgetting all social and natural factors that cause a person to be so. "

Some believe that forgetting the past is consistent and necessary, as I think completely unfair, cruel and unnecessary!!

Perhaps the mistake is on me, I admit, not to understand and accept, as I said after Allan Kardec, giving a body "evolved" to the soul of a black, less "evolved" he said, would be like giving an excellent piano to someone who not know how to play this instrument!!
 

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Mundo Corporativo ( Mundo Corporativo )


“Todos os dias, a formiga chegava cedinho ao escritório e pegava duro no trabalho. Era produtiva e feliz. O gerente marimbondo estranhou a formiga trabalhar sem supervisão.
- Se ela é produtiva sem supervisão, seria ainda mais se fosse supervisionada!
Colocou então uma barata, que preparava belíssimos relatórios e tinha muita experiência, como supervisora. A primeira preocupação da barata foi a de padronizar o horário de entrada e saída da formiga.
Logo, a barata precisou de uma secretária para ajudar a preparar os relatórios e contratou também uma aranha para organizar os arquivos e controlar as ligações telefônicas. O marimbondo ficou encantado com os relatórios da barata e pediu também gráficos com indicadores e análise das tendências que eram mostradas em reuniões.
A barata, então, contratou uma mosca, e comprou um computador com impressora colorida. Logo, a formiga produtiva e feliz, começou a se lamentar de toda aquela movimentação de papéis e reuniões! O marimbondo concluiu que era o momento de criar a função de gestor para a área onde a formiga, produtiva e feliz, trabalhava. O cargo foi dado a uma cigarra, que mandou colocar carpete no seu escritório e comprar uma cadeira especial.
A nova gestora cigarra logo precisou de um computador e de uma assistente (…sua assistente na empresa anterior) para ajudá-la a preparar um plano estratégico de melhorias e um controle do orçamento para a área onde trabalhava a formiga, que já não cantarolava mais e cada dia se tornava mais chateada.
A cigarra, então, convenceu o gerente marimbondo, que era preciso fazer um estudo de clima. Mas, o marimbondo, ao rever as cifras, se deu conta de que a unidade na qual a formiga trabalhava já não rendia como antes e contratou a coruja, uma prestigiada consultora, muito famosa, para que fizesse um diagnóstico da situação.
A coruja permaneceu três meses nos escritórios e emitiu um volumoso relatório, com vários volumes que concluía : "há muita gente nesta empresa".
E, adivinha quem o marimbondo mandou demitir? A formiga, claro, porque ela andava muito desmotivada e aborrecida!!!”
________________________________________________________________

"Every day, the ant came very early to the office and picked up the hard work. It was productive and happy. The manager was surprised wasp ant work unsupervised.

- If it is productive without supervision, would be even more if it were supervised!
He then placed a cockroach, which reports prepared beautifully and had a lot of experience as a supervisor. The first concern of the cockroach was to standardize the time of entry and exit of ant.
Soon, the cockroach needed a secretary to help prepare the reports and also hired a spider to organize files and manage phone calls. The wasp was delighted with the cockroach's reports and asked also charts with indicators and analysis of the trends that were shown at meetings.
A cheaper then hired a fly, and bought a computer with color printer. So the ant productive and happy, began to lament all that moving papers and meetings! The wasp concluded that it was time to create the role of manager for the area where the ant, productive and happy working. The position was given to a buzzer, which had put carpet in your office and buy a special chair.
The new manager cicada soon needed a computer and a wizard (... her assistant in previous company) to help her prepare a strategic plan for improvement and control of the budget for the area where the ant worked, what has not hummed more and each day became more upset.
The buzzer then convinced the manager wasp, which was necessary to make a study of climate. But the wasp, in reviewing the numbers, realized that the drive where the ant worked has not yielded as before and hired the owl, a prestigious consultant, very famous, to make a diagnosis of the situation.
The owl spent three months in office and issued a voluminous report, which concluded with several volumes: "there are many people in this business."
And guess who sent the hornet resign? The ant, of course, because she walked very disheartened and upset! "

Por Tico Santa Cruz ( By Tico Santa Cruz )


Não leia se não tiver tempo para pensar.

Não sei em que momento tomei uma visão crítica do mundo que me fez mudar da forma complacente de aceitar as coisas como elas aparentam ser, para uma ótica mais densa e crua. E não que ache que seja agradável, certo ou melhor enxergar certas questões sem os mil véus que as encobertam.

Mas o fato é que tenho notado há algum tempo que algo está muito errado na maneira de conduzir essa nova realidade. E isso vem da sensação de que atualmente existe um mercado de graduações, diplomas, e outros títulos de diversas esferas que estão sendo vendidos ao invés de conquistados por méritos reais.
Um grande circo que muitas vezes participamos direta ou indiretamente, alimentamos e aplaudimos.


Desde uma troca de faixa na academia onde se pratica sua arte marcial, passando por uma aprovação na escola ou no curso onde estas aprendendo uma outra língua até nos diplomas das universidades ou graduações públicas importantes.

Estão montando um mundo de mentirinha e milhares de pessoas estão aceitando como se isso fosse normal.

A questão do ensino Fast Food que privilegia as mensalidades altas em prol do ensino e que substitui o conhecimento pelo poder financeiro na manutenção desse mecanismo, já é algo se perpetua por muitos anos.

Não são poucos os profissionais péssimos que ostentam seus diplomas, e nem menor o número de alunos analfabetos funcionais aprovados em vestibulares ou vagando de um ano para o outro em suas escolas sem absolutamente nenhuma condição de exercer suas responsabilidades.

Contudo, é preciso verificar se nós também não estamos oferecendo o mesmo caminho para nossos filhos. Principalmente quando permitimos que eles recebam graduações que não estão aptos a receber. Enquanto muitos de nós achamos que eles possuam o crédito por terem APENAS cumprido o calendário estipulado. Talvez não estejamos pensando em como eles estarão preparados para enfrentar problemas REAIS de um MUNDO de VERDADE.


Será que temos o cuidado de avaliar se realmente eles possuem condições e ferramentas para que exerçam suas funções de forma correta e eficiente? Ou será que preferimos o afago e o alívio que nos proporciona a falsa sensação de que nosso dever foi cumprido?


Não quero que meus filhos sejam fantoches nesse circo, tão pouco quero que eles se sintam incapazes. Todavia precisamos estar atentos com relação a qualidade e a capacitação que estamos oferecendo, sob o risco de nos enganarmos e também a eles com falsas premiações ou títulos. Isso serve em qualquer instância.


Fica o pensamento.

 _________________________________________________________________

 Do not read if you do not have time to think.

I do not know at what time I took a critical view of the world that made me change the way complacent to accept things as they appear to be, for an optical denser and raw. And do you think that is nice, right or better see certain issues without the thousand veils that encobertam.
But the fact is that I have noticed for some time that something is very wrong in the way they lead this new reality. And that comes from the feeling that there is currently a market for degrees, diplomas, and other evidence of several spheres being sold rather than earned by real merits.
A big circus that often participate directly or indirectly feed and applaud.


Since a change of track in the gym where he practices his martial art, through an endorsement in school or on the course where they learn another language until the diplomas of graduation or important public universities.
They are riding a fake world and thousands of people are accepting as if this was normal.

The issue of teaching that focuses Fast Food tuition hikes in favor of education and knowledge by replacing the financial power to maintain this mechanism, it is something perpetuated for many years.
There are few professional sporting lousy their diplomas, and even lower the number of functionally illiterate students approved in vestibular or wandering from one year to another in their schools with absolutely no condition to exercise their responsibilities.

However, we must also verify that we are not offering the same way for our children. Especially when we allow them to receive grades that are not able to receive. While many of us think they have the ONLY credit for having fulfilled the stipulated timing. Maybe we're not thinking about how they will be prepared to face problems of a REAL WORLD TRUTH.

Do we care to assess whether they actually have conditions and tools to exercise their duties correctly and efficiently? Or would we prefer cuddling and relief that gives us a false sense that our duty was fulfilled?

I do not want my children to be puppets in this circus, so they just want to feel incapable. However we need to be vigilant about the quality and training that we are offering, at the risk of deceiving ourselves and also to them with false titles or awards. This serves in every instance.

It is the thought.