Páginas

Guerra dos Farrapos

Guerra dos Farrapos

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Chamada Anonymous - Let Us All Unite ( Anonymous Call - Let Us All Unite )



Me desculpe mas eu não quero ser um Ditador. Esse não é meu trabalho.
Eu não quero mandar, nem conquistar ninguém.
Eu gostaria de ajudar todos se possível. Judeu, gentio, negro, branco.
Nós todos queremos ajudar uns aos outros. Seres humanos são assim.
Nós queremos viver pela felicidade do outro, não por sua angustia.
Nós não queremos odiar nem desprezar um ao outro.
Nesse mundo há espaço para todos.Há terra boa e rica para todos.
O jeito de viver pode ser livre e belo. Mas nós nos esquecemos desse jeito.
A ganância envenenou a alma dos homens.
Criou uma barreira de ódio no mundo. Nos fez derramar sangue e nos deixou em miséria.
Nós desenvolvemos velocidade, mas nos prendemos.
O maquinário que nos da abundância nos deixou em necessidade.
Nosso conhecimento nos fez cínicos. Nossa esperteza é severa e má.
Nós pensamos muito e sentimos pouco.
Mais que MAQUINÁRIO, precisamos de HUMANIDADE.Mais que esperteza, nós precisamos de bondade e gentileza.
Sem essas qualidades, a vida será violenta e tudo será perdido.
O avião e o rádio nos deixaram mais próximos. A natureza dessas invenções suplica pela bondade entre os homens.
Suplica pela IRMANDADE UNIVERSAL e a UNIÃO DE TODOS NÓS.
Até mesmo agora minha voz alcança milhares mundo afora. Milhões de homens, mulheres e crianças desesperados.
Vítimas de um SISTEMA que faz o homem torturar e aprisionar inocentes.
Para aqueles que me ouvem eu digo: "Não se desesperem".
A desgraça que está sobre nós não é nada senão a passagem da ganância. A amargura de homens que temem o PROGRESSO HUMANO.
O Ódio dos homens passará e os ditadores morrerão. E o poder que eles roubaram do povo, retornará ao povo.
E enquanto o homens morrem, a liberdade nunca perecerá.
Soldados: Não se entreguem a esses brutos. Homens que os desprezam, escravizam, disciplinam[programam] suas vidas.
Dizem o que vocês devem fazer, pensar e sentir..
Que os ensinam, alimentam e tratam como gado. Que usam vocês como forragem de canhão.
Não se entreguem para esses homens perversos. Homens-máquina, com mentes de maquina e coração de máquina.
Vocês não são máquinas. Vocês não são gado. Vocês são homens.Vocês têm o amor da humanidade em seus corações.
Vocês não odeiam. Somente há ódio sem amor. Sem amor e perverso.
Soldados: Não lutem por escravidão,lutem por liberdade.
No décimo sétimo capítulo de São Lucas está escrito: "O Reino de Deus está dentro do homem".
Não um homem, não um grupo de homens, mas em todos os homens. Em você. O POVO TEM O PODER.
O poder de criar máquinas, de criar felicidade. O povo tem o poder para fazer essa vida ser livre e bela.
Para fazer dessa vida uma maravilhosa aventura.
Então em nome da verdadeira democracia, vamos usar esse poder. Vamos nos unir!
Vamos lutar por um mundo novo. Um mundo decente.
Isso dará aos homens a chance de trabalhar. Isso dará um futuro aos jovens e segurança aos idosos.
PROMETENDO ESSAS COISAS, OS BRUTOS SUBIRAM AO PODER. Mas eles mentem. Eles não cumprem essas promessas, e nunca cumprirão.
Ditadores libertam-se, mas escravizam o povo.
Agora vamos lutar para cumprir essa promessa. VAMOS LUTAR PARA LIBERTAR O MUNDO.
PARA ELIMINAR BARREIRAS NACIONAIS. Para eliminar a ganância. Eliminar o Ódio e a intolerância.
Vamos lutar por um mundo justo.
Um mundo onde a ciência e o progresso conduzam a ventura de todos os homens.
SOLDADOS: EM NOME DA DEMOCRACIA: VAMOS NOS UNIR!

Nós somos anônimos,
Nós somos uma legião,
Nós não perdoamos,
Nós não esquecemos,
Aguarde-nos.

_____________________________________________________________________

 I'm sorry but I do not want to be a dictator. This is not my job.
I do not want to send, or conquer anyone.
I'd like to help everyone if possible. Jew, Gentile, black, white.
We all want to help each other. Human beings are like.
We want to live for the happiness of others, not by his anguish.
We do not want to hate and despise one another.
In this world there is room for todos.Há rich and fertile land for everyone.
The way of life can be free and beautiful. But we forget that way.
Greed has poisoned men's souls.
Created a barrier of hatred in the world. We did draw blood and left us in misery.
We have developed speed but we hold.
The machinery that in abundance has left us in need.
Our knowledge has made us cynical. Our cleverness is severe and bad.
We think too much and feel too little.
More than machinery we need HUMANIDADE.Mais than cleverness we need kindness and gentleness.
Without these qualities, life will be violent and all will be lost.
The airplane and the radio left us closer. The nature of these inventions begs the goodness of men.
And pleads for UNIVERSAL BROTHERHOOD UNION ALL.
Even now my voice is reaching millions throughout the world. Millions of men, women and children desperate.
Victims of a SYSTEM that makes men torture and imprison innocent people.
For those who hear me I say, "Do not despair."
The misery that is upon us is nothing but the passing of greed. The bitterness of men who fear the HUMAN PROGRESS.
The hate of men will pass and dictators die. And the power they stole from the people, the people will return.
And as long as men die, liberty will never perish.
Soldiers: Do not give yourselves to these brutes. Men who despise them, enslave, govern [schedule] their lives.
Say what you should do, think and feel ..
Who teach them, feed them and treat them like cattle. What use you as cannon fodder.
Do not give yourselves to these evil men. Man-machine, with machine minds and machine hearts.
You are not machines. You are not cattle. You are homens.Vocês have the love of humanity in their hearts.
You do not hate. Only there is hatred without love. Without love and perverse.
Soldiers: Do not fight for slavery, fight for freedom.
In the seventeenth chapter of Saint Luke it is written: "The kingdom of God is within man."
Not a man, not a group of men, but in all men. In you. THE PEOPLE HAVE THE POWER.
The power to create machines, to create happiness. The people have the power to make this life to be free and beautiful.
To make this life a wonderful adventure.
So on behalf of true democracy, we will use that power. Let us unite!
We will fight for a new world. A decent world.
This will give men a chance to work. This will give young people a future and security for the elderly.
PROMISING THESE THINGS, THE GROSS WENT UP TO POWER. But they lie. They do not fulfill these promises, and never fulfilled.
Dictators free themselves but they enslave the people.
Now let us fight to fulfill that promise. LET'S FIGHT TO FREE THE WORLD.
TO ELIMINATE BARRIERS NATIONAL. To eliminate greed. Eliminate the Hate and intolerance.
We will fight for a just world.
A world where science and progress will lead the happiness of all men.
SOLDIERS: IN THE NAME OF DEMOCRACY: LET U.S. UNITE!

We are anonymous,
We are legion,
We do not forgive,
We have not forgotten,
Wait for us.

CARTA DE ABRAHAM LINCOLN AO PROFESSOR DE SEU FILHO ( LETTER OF ABRAHAM LINCOLN TO YOUR CHILD'S TEACHER )


Caro professor,

Ele terá de aprender que nem todos os homens são justos,

nem todos são verdadeiros, mas, por favor, diga-lhe que,
para cada vilão, há um herói; que para cada egoísta,
há também um líder dedicado;
ensine-lhe, por favor, que para cada inimigo haverá também um amigo;
ensine-lhe que mais vale uma moeda ganha que uma moeda encontrada;
ensine-o a perder mas também a saber gozar da vitória.
Afaste-o da inveja e dê-lhe a conhecer a alegria profunda do sorriso silencioso.
Faça-o maravilhar-se com os livros, mas deixe-o também perder-se com os pássaros do céu, as flores do campo, os montes e os vales.
Nas brincadeiras com os amigos, explique-lhe que a derrota honrosa vale mais que a vitória vergonhosa; ensine-o a acreditar em si, mesmo se sozinho contra todos.
Ensine-o a ser gentil com os gentis e duro com os duros;
ensine-o a nunca entrar no comboio simplesmente porque os outros também entraram.
Ensine-o a ouvir a todos, mas, na hora da verdade, a decidir sozinho;
ensine-o a rir quando estiver triste e explique-lhe que por vezes os homens também choram.
Ensine-o a ignorar as multidões que reclamam sangue e a lutar só contra todos, se ele achar que tem razão.
Trate-o bem, mas não o mime, pois só o teste do fogo faz o verdadeiro aço.
Deixe-o ter a coragem de ser impaciente e a paciência de ser corajoso.
Transmita-lhe uma fé sublime no Criador e fé também em si, pois só assim poderá ter fé nos homens.
Eu sei que estou pedindo muito, mas veja o que pode fazer, caro professor.

Abraham Lincoln,
1830

 ____________________________________________________________________
 
Dear Professor,

He must learn that not all men are righteous,

not all are true, but please tell him that
for every villain, there's a hero, that for every selfish
there is also a dedicated leader;
teach you, please, that for every enemy there is also a friend;
teach him to earn a coin worth more than a coin found;
teach him to lose but also learn to enjoy the victory.
Move it out of envy and give him to know the deep joy of silent smile.
Do you marvel at the books, but also let loose with the birds of heaven, the wildflowers, hills and valleys.
In play with friends, explain that honorable defeat is better than shameful victory; teach him to believe in themselves, even if alone against everyone.
Teach him to be gentle with gentle and tough on hard;
teach him to never get on the train simply because others also came.
Teach him to listen to everyone, but the moment of truth, the decision alone;
teach him to laugh when you're sad and explain that sometimes men also cry.
Teach him to ignore the crowds who demand blood and fight alone against all, if he thinks he is right.
Treat him well, but not the baby, because only the test of fire makes the real steel.
Let him have the courage to be impatient and patience to be brave.
Pass it a sublime faith in the Creator and faith in herself also, because only then can have faith in men.
I know I'm asking too much, but see what you can do, dear teacher.

Abraham Lincoln,
1830

Discurso de Gettysburg ( Gettysburg Address )


Abraham Lincoln

Há 87 anos, os nossos pais deram origem neste continente a uma nova Nação, concebida na Liberdade e consagrada ao princípio de que todos os homens nascem iguais.
Encontramo-nos atualmente empenhados numa grande guerra civil, pondo à prova se essa Nação, ou qualquer outra Nação assim concebida e consagrada, poderá perdurar.
Eis-nos num grande campo de batalha dessa guerra.
Eis-nos reunidos para dedicar uma parte desse campo ao derradeiro repouso daqueles que, aqui, deram a sua vida para que essa Nação possa sobreviver.
É perfeitamente conveniente e justo que o façamos.
Mas, numa visão mais ampla, não podemos dedicar, não podemos consagrar, não podemos santificar este local.
Os valentes homens, vivos e mortos, que aqui combateram já o consagraram, muito além do que nós jamais poderíamos acrescentar ou diminuir com os nossos fracos poderes.
O mundo muito pouco atentará, e muito pouco recordará o que aqui dissermos, mas não poderá jamais esquecer o que eles aqui fizeram.
Cumpre-nos, antes, a nós os vivos, dedicarmo-nos hoje à obra inacabada até este ponto tão insigne mente adiantada pelos que aqui combateram.
Antes, cumpre-nos a nós os presentes, dedicarmo-nos à importante tarefa que temos pela frente - que estes mortos veneráveis nos inspirem maior devoção à causa pela qual deram a última medida transbordante de devoção - que todos nós aqui presentes solenemente admitamos que esses homens não morreram em vão, que esta Nação com a graça de Deus venha gerar uma nova Liberdade, e que o governo do povo, pelo povo e para o povo jamais desaparecerá da face da terra.

_____________________________________________________________________

 Abraham Lincoln

87 years ago, our parents gave birth on this continent a new nation, conceived in Liberty and dedicated to the principle that all men are created equal.
We are currently engaged in a great civil war, testing whether that nation or any nation so conceived and dedicated, can endure.
Here we are on a great battlefield of that war.
Here we are gathered to dedicate a portion of that field to the ultimate home of those who here gave their lives that that nation might live.
It is perfectly appropriate and fair to do so.
But a broader view, we can not dedicate, we can not consecrate, we can not hallow this site.
The brave men, living and dead, who have fought here have consecrated it, far beyond what we could never add or decrease with our weak powers.
The world will little note, and very few remember what we say here, but it can never forget what they did here.
We must, rather, for us the living, now dedicate ourselves to the unfinished work to this point so early distinguished mind by those who fought here.
Rather, we must present to us devote ourselves to the important task ahead - they honored the dead take increased devotion to that cause for which they gave the last full measure of devotion - that we all here present solemnly admit that these men did not die in vain, that this nation with the grace of God will generate a new freedom and that government of the people by the people and the people will never disappear from the earth.