Páginas

Guerra dos Farrapos

Guerra dos Farrapos

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Filósofo da rua - Eduardo Marinho ( Philosopher Street - Eduardo Marino )


video




Basta olhar para dentro de si mesmo, É ai que começa a revolução
A rapaziada que fala muito em revolução apresenta um monte de comportamento convencional, são conflituosos, são insultuosos, são vaidosos, são soberbos, acham que tem a verdade, parecem religiosos.
E não olham para dentro se si mesmos, não tem humildade, não se põem a serviço, querem liderar.
Eu acho que a gente tem que liderar a si mesmo, e despertar a liderança em cada individuo do planeta sacou? Aonde ninguém obedece, não há quem consiga mandar.
E a gente já obedece demais nessa vida, você não vê como o medo é plantado?
Nos estamos na sociedade do medo, que tem medo de descer na vida, que tem medo de ser despedido, que tem medo de ser assaltado, que tem medo de andar nas favelas.
Você tem medo de ficar abaixo, da tua mulher por exemplo, da tua mulher ganhar mais que você, o medo é plantado velho, eles põem a gente num mundo, eles fazem uma figura de mundo, é uma arena velho, é um pega para capar, todo mundo é inimigo de todo mundo
Qualquer um pode te trair, ai você se fecha, se você se expõe a traição, você começa a desenvolver o discernimento, você percebe o cara que trai, antes de ele trair.
É freqüência cara, isso nas favela é desenvolvido, o pobre não tem desenvolvimento racional, ele tem desenvolvimento intuitivo, eles não tem escola, eles tem um simulacro com o nome de escola, mas é só o nome, só a fachada, não tem ensino, o cara tem ensino médio, não consegue ler um texto, então o bloqueio da racionalidade faz ele desenvolver a intuição,
Só que ele não sabe disso, é muito mais comum, você chega numa favela que você não é conhecido, é muito mais comum a pessoa ficar te olhando de longe, e depois se aproximar, do que vir te perguntar alguma coisa, o que faz a pergunta é a razão, a intuição o cara ta sentindo você, sem perguntar nada, ele ta só olhando você, sentido sua vibração.
Quantas vezes o neguinho vem falar comigo depois de me sentir, “to sentindo que você é gente boa”, sem ter falado comigo, só me vendo, vendo meu comportamento, é intuição cara.
Se a população tivesse consciência desse poder, o mundo mudaria, por isso tem essa bagagem de inferioridade nas pessoas que não tem nada, para que se sintam inferiores, incapazes, impotentes, esse sentimento ta plantado em todo mundo, quantos não foram implantados ai esse condicionamento, as vezes por um pai, uma mãe, por uma pessoa que você ama, porque ele também foi condicionado, quantas vezes eu ouvi “- o meu filho você não pode ficar perguntando essas coisas, ninguém pergunta isso não”
Ficava perguntando porque tem pobreza, trata da sua vida, vai estudar, você tem que se garantir, eu não tinha essa necessidade, eu já estava garantido, e eu dizia “-ta garantido pra mim é morrer”, a única garantia na vida é morrer.
Eu não quero chegar na velhice, olhar para minha e dizer “-que merda, agora não dá mais tempo de fazer nada.”
Eu cruzei com um velhinho, eu tinha uns dezoito anos, um velhinho falou para mim que ele fez tudo o que mandaram, tudo o que o mundo disse a ele para fazer ele fez, ele fez comercio exterior, ele tinha um plano de exportação, ele ia para Europa três vezes por ano
E no entanto: palavras dele – eu olho para minha vida agora que eu to perto de morrer e tem um monte de coisas que eu queria ter feito e eu não fiz, e um monte de coisas que eu não queria fazer que eu tive que fazer, sou bem sucedido e me sinto um fracassado.
Quando eu ouvi isso compadre, eu já era angustiado, eu vi isso e falei:
- Isso não vai acontecer comigo, eu morro antes mas isso não vai acontecer comigo.
E ai quando eu peguei a mochila e coloquei nas costas e fui para estrada eu achava que não ia chegar nos trinta anos de idade.
Eu achava que ia morrer antes. “tinha quantos anos?” – dezenove.
“ E ta com quanto?” – Cinqüenta.
Eu sabia que o que estava na minha frente não me servia.
“Mas você nasceu com uma condição financeira?” – Nasci, meu pai era coronel do exercito.
“E você abriu mão dessa condição financeira para viver a tua vida, tuas experiências?”
- Eu vivia nessa condição financeira
Até perceber que ali não tinha o que me interessava.
Então não abri mão daquilo, fui atrás de alguma coisa que valesse a pena, aquilo não valia a pena.
“ E o que tu fez?, o que tu foi fazer? ” – Comecei a viajar, a perguntar , dormi no chão, conhecer puteiro, pedir comida em restaurante, dormir embaixo da marquise, entrar em casa abandonada, construção, sai olhando para o mundo, aprendendo que nem menino, de olho arregalado e vendo como as pessoas mais pobres se tratavam entre si, coisa que na minha classe não dava para ver.
Sempre que eu chegava no meio de pessoas pobres elas mudavam de comportamento.
Me tratavam bem, mas com distancia.
Só quando eu pedia ajuda, dormia no chão, começaram a me tratar de igual para igual.
Eu era o riquinho, e é o condicionamento o cara se sentir inferior, quando ele não tem nada e se sentir superior quando ele tem muito.
A gente recebe essa bagagem.
“Loucos abrem caminho que mais tarde percorrem os sábios.”
Uma frase de Jean Paul Sartre ..
Achei no chão de uma padaria, numa folha de caderno, feito uma bolinha, eu abri e quando eu li, eu me identifiquei, porque me chamaram de louco quando eu pedi demissão do Banco do Brasil, me chamaram de louco quando eu sai do exercito, me chamaram de louco quando larguei a faculdade, quando eu peguei a estrada, me chamavam de louco o tempo todo.
E eu não me sentia louco, achava que o mundo que estava louco em me oferecer uma vida medíocre como me ofereciam.
O que era minha vida? Privilégios, garantias, conforto, estabilidades, tudo ilusório.
Eu queria sabor, queria cheiro, para isso eu tive que tirar tudo, deixar tudo o que foi oferecido para trás, parti atrás de um sentido que eu nem sabia se existia.
Mas ai comecei a aprender, o mundo começou a ficar interessantíssimo, porque eu estava andando em meios que eu não andava antes, com a mesma desenvoltura, eu comecei a fazer parte da classe mais baixa, tava abaixo até que da classe mais baixa, porque eu não tinha nem casa, não tinha trampo, não tinha nada.
Comecei aprender, comecei aprender, com o tempo tive necessidade de falar, achei aquela frase e comecei a botar em brochinho, comecei a fazer brochinho com aquela frase, começou a vir mais frases na minha cabeça, comecei a fazer tudo brochinho, passe uns dez anos só fazendo brochinho, gravado com corrosivo, fazia textos, soldava atrás, trabalho bonito cara, tentei ensinar para muita gente, mas dava tanto trabalho que ninguém se animava a fazer, eu tenho até hoje os brochinhos em casa.
Eu gostava de ver as reações das pessoas, quando franze a testa, ta pensando, ta refletindo, ta enxergando alguma coisa, ai comecei a me sentir servindo.
Não cheguei a nenhum objetivo, mas comecei a perceber que a minha vida estava fazendo parte do fluxo evolutivo da humanidade.
Não informar a população, você cria uma língua inacessível para que aquela população permaneça ignorante, para o sistema interessa o povo ignorante, se o povo não for ignorante isso não acontece.
Uma coisa que eu reparo velho, que as pessoas mais pobres elas tem uma capacidade de superação de problemas, muito mais que a classe mais rica.
Por exemplo: to cansado de ver empresário que vai a falência matar a família e se matar depois, no desastre das chuvas de Niterói que morreram mais de 600 pessoas mais de 300 casas caíram não teve um suicídio, teve muitas mortes, mas nenhum suicídio, o pobre passa pela merda varias vezes na vida e se levanta, e levanta de novo, cai a casa, perde tudo e ele começa outra vez.
Ele tem uma capacidade de superação enorme, perto da classe mais alta, e a classe mais alta tira onde de superioridade mas é completamente dependente, não faz faxina, não tira o lixo, não faz a comida, não arruma a casa, não lava a própria roupa, não sabe consertar um vazamento, mal sabe trocar um pneu. Ou seja depende de pobre para tudo. De onde que tira essa superioridade? Do condicionamento, que tem vale, quem não tem não vale, quem não tem é muito mais forte.
Imagina se tem consciência dessa força, sacou? Acho que é por isso que se cria tanta divisão velho, é Vasco e flamengo é preto e branco, é religião, tudo divide.
A implantação da publicidade é você competir com seus vizinhos, todo mundo é inimigo, o cara comprou o carro do ano, você vai querer comprar o carro do ano senão você vai se sentir inferioridade diante dele.
É uma besteira, uma bobagem, uma infantilidade, mas é assim que funciona.
Então cria-se divisões, para gerar desunião.
Se houve união da coletividade, se a humanidade se sentisse uma família, como eu me sinto família com a humanidade, ia ser inadmissível ver gente na miséria, inadmissível é uma vergonha para qualquer sociedade ter miserável na rua, era para aquele cara que tem demais que usufrui de luxo ter vergonha, porque é uma desumanidade, é uma demonstração de insensibilidade, de egoísmo, no entanto ele condicionado a se sentir superior, ele tem orgulho de ter demais, se ele se visse com meus olhos ele se envergonharia, eu olho com pena, o cara que tem muita grana ele é mais pobre que o cara que tem pouca grana, ele é pobre de alma, ele é pobre de sentimentos, ele é pobre de humanidade, ele é pobre de solidariedade, ele é pobre de visão de mundo, é uma das piores pobrezas que existe velho, de todas as pobrezas que eu conheço, a de grana para mim é a mais fácil, não é agradável, mas é a mais fácil de tratar, não me envergonho, essas outras pobrezas que eu vejo essas sim eu me envergonharia muito. Quando eu comecei a ver que pessoas me desprezavam. “Sai daí, sai daí” eu não me sentia humilhado, eu achava graça, eu via outras pessoas ficarem humilhadas, quererem reagir, ficar com raiva, “quem esse cara pensa que é?” ta na cara que ele pensa que é superior a você, ele pensa, isso não quer dizer que é verdade, deixa ele pensar não tem problema nenhum, não importa o que se pensa a seu respeito, não transforma você no que se pensa, você é o que você é cara, o que dizem que você é, você não tem nada com isso, quando você reage a um insulto está colaborando com o sistema, quando você quer vencer na vida você está colaborando com o sistema, quando você se sente vitorioso ou perdedor você está colaborando com o sistema, quando você deseja feriado está colaborando com o sistema, quando você odeia o seu trabalho está colaborando com o sistema, eu acho que ninguém devia aceitar um trabalho odiavel, as pessoas só deviam aceitar trabalhar no que gostam, há não é possível, há mas o que não é possível que é bom cara, que, que é fácil nessa vida e tem valor? Eu não vejo nada que é fácil que tenha valor, tem valor exatamente o que é difícil, a gente não pode fugir do que é difícil, a gente vê o contra senso da cultura, eles valorizam o que é difícil, mas ele já pregou a busca do fácil, tem que buscar a facilidade, nego não leva em conta que facilidade fragiliza, dificuldade fortalece, quando você passa muita dificuldade você supera, você aprende a superar as dificuldades, no entanto as pessoas buscam a facilidade, e ai ficam fracas, ficam frágeis , qualquer dificuldade elas se apavoram, desistem, você não entender nada acho que é uma das piores situações que tem, o mundo é uma merda e você não está entendo porra nenhuma, você se mata cara, você pira, nunca se tomou tanto antidepressivo como hoje em dia, as pessoas estão angustiadas, não questionam porque tem medo de questionar, eu ouvi frases que são simbólicas: “eu não quero tomar consciência, não quero saber, não quero pensar nisso”.
Só que a pessoa não quer pensar nisso, mas a angustia ta lá dentro, a solução para essa angustia é tomar consciência, mas ela tem medo de tomar consciência, porque ela vai ser obrigada a perceber a responsabilidade dela nesse estado que cuida da sociedade, natural que as pessoas estranhem a minha existência, a minha maneira de ser, eu não estou enquadrado nos comportamentos padrão. “perdeu a lógica”. A descriminação é bem vinda, é um bom sinal, se eu fosse abraçado pelo mundo, elogiado na globo, eu ia achar que tem alguma coisa errada. “tomara você estar certo” eu to procurando. “tu ainda está procurando?” eu acho que ainda vou procurar milhares de anos, eu não me sinto com 50 anos, 50 anos tem essa carcaça aqui, eu me sinto passando por aqui, por essa situação, depois vem outra, não sei como vai ser, nem me interessa, to preocupado com o agora.

________________________________________________________________

Just look inside yourself, is where the revolution begins
The guys who talks a lot about revolution presents a lot of conventional behavior, are conflicting, are insulting, are vain, are superb, think they have the truth, seem religious.
And if they do not look into themselves, do not have humility, be put at the service, they want to lead.
I think we have to lead yourself and awaken leadership in each individual on the planet dig? Where no one obeys, no one can say.
And we already obey this life too, do not you see how fear is planted?
We are in a society of fear, that fear has come down in life, they are afraid of being fired, they are afraid of being robbed, who is afraid of walking in the slums.
Are you afraid to stay below, for example your wife, your wife earns more than you, fear is planted old, they put us in a world, they make a picture of the world, is an old arena, is a handle for geld, everyone is an enemy to everyone
Anyone can betray you, then you closes, if you expose the betrayal, you begin to develop insight, you realize the guy who betrays before betraying him.
It is often expensive, it is developed in the slums, the poor have no rational development, it has intuitive development, they do not have school, they have a semblance with the school name, but it's just the name, only the facade, has no education , the guy has high school, can not read a text, then the blockage of rationality does he develop intuition,
Only he did not know it, is far more common, you get in a slum that you are not known, it is much more common to get people watching you from afar, and then get closer than come to ask you something, what makes the question is why, intuition ta feeling the guy you without asking anything, he's just looking at you, meaning their vibration.
How many times nigga come to me after I feel, "to feel that you are good people," without telling me, just watching me, watching my behavior, intuition is expensive.
If the population was aware of this power, the world would change, so it has this baggage of inferiority in people who have nothing to feel inferior, incapable, powerless, that feeling ta planted worldwide, how many were not deployed there this conditioning, sometimes by a father, a mother, a person you love, because he was also conditioned how many times I heard "- my son can not keep asking you these things, so nobody asks not"
Kept asking why has poverty, it's your life, you will study, you have to make sure I did not need this, I was assured, and I said "ta-guaranteed me is dying," the only guarantee in life is die.
I do not want to get into old age, look and tell me "-that shit, now there's more time to do anything."
I bumped into an old man, I was about eighteen, an old man told me that he did everything he was told, everything the world told him to do he did, he did comercio exterior, he had a plan to export He went to Europe three times a year
And yet: his words - I look at my life now that I'm about to die and have a lot of things I wanted to do and I did not, and a lot of things I did not want to do what I had to do I am successful and I feel like a failure.
When I heard that my friend, I was anxious, I saw it and said:
- It will not happen to me before I die but that will not happen to me.
And then when I picked up the bag and put in the back and went to the road I thought I would not get in the thirties.
I thought I would die before. "Was how old?" - Nineteen.
"And as with ta?" - Fifty.
I knew what was in front of me not served.
"But you were born with a financial condition?" - I was born, my father was a colonel in the army.
"And you gave up this financially able to live your life, your experiences?"
- I lived in this financial condition
Until I realized there was not what interested me.
So do not open up what I was after something worthwhile, it was not worth it.
"And what did you do?, What you been doing? "- I started traveling, asking, slept on the floor, knowing whorehouse, order food in a restaurant, sleeping under the awning, enter the abandoned house, building, looking out into the world, learning that neither boy, eye-popping and seeing how poorer people are treated each other, something that in my class could not see.
Whenever I arrived in the middle of poor people they changed their behavior.
Treated me well, but with distance.
Only when I asked for help, slept on the floor, began to treat me as an equal.
I was the rich boy, and the conditioning is the guy feel inferior, when he has nothing and feel superior when he has plenty.
We receive this luggage.
"Crazy pave the way to later run the wise."
A phrase from Jean Paul Sartre ..
I thought the floor of a bakery, a sheet of notebook paper, like a ball, and when I opened I read, I identified because they called me crazy when I resigned from Bank of Brazil, called me crazy when I left the army , called me crazy when I left college, when I hit the road, call me crazy all the time.
And I did not feel crazy, I thought that the world was mad at me offering me a mediocre life as offered.
What was my life? Privileges, guarantees, comfort, stability, all illusory.
I wanted to taste, smell wanted to do that I had to take everything, leave everything that was offered back, left behind a sense that I was not even sure existed.
But woe started learning, the world started to get interesting, because I was walking in ways that I walked before, with the same ease, I began to be part of the lower class, I was down until the lower class, because I had no home, had no gig had nothing.
I started to learn, I learn, with time I need to talk, I thought that phrase and began to put in brochinho, started doing brochinho with that sentence, began to come more sentences in my head, I started doing everything brochinho, spend ten years just doing brochinho engraved with corrosive, did texts, soldava ago, work pretty face, tried to teach many people, but no one gave much work to do if animated, I have until today brochinhos home.
I like to see people's reactions when frowns, thinking ta, ta reflecting ta seeing something there I began to feel serving.
I did not get to any goal, but I began to realize that my life was part of the evolutionary flow of humanity.
Not informing the population, you create a language inaccessible to that population remains ignorant to the ignorant people care system, if the people are not ignorant that does not happen.
One thing I notice old people they have a poorer ability to overcome problems, much more than the wealthier class.
For example: to tired of going bankrupt businessman who killed his family and then killing himself in the rainy Niterói disaster that killed more than 600 people over 300 houses collapsed was not a suicide, had many deaths, but no suicide the poor shit goes through many times in life and rises, and rises again, the house falls, he loses everything and starts again.
He has a tremendous ability to overcome near the highest class, and upper class strip where superiority but is completely dependent, not cleans, does not take out the garbage, the food does not tidy the house, not the actual lava clothing, do not you fix a leak, can barely change a tire. That is poor for everything depends on. Where that takes such superiority? Conditioning, which has worth, who has no worth, who does not have is much stronger.
Imagine if aware of that force, you know? I think that's why it creates so much old division, Vasco is Flemish and is black and white, is religion, everything breaks.
The deployment of advertising is you compete with its neighbors, everyone is an enemy, the guy bought the car of the year, you will want to buy the car of the year but you will feel inferior to him.
It's a silly, silly, childish, but that's how it works.
Then it creates divisions to generate disunity.
If there was unity of the community, if humanity feel like a family, I feel like family with humanity, would be unacceptable to see people in misery, inadmissible is a shame for any company to have miserable on the street was that guy that has too that enjoys luxury ashamed, because it is an inhumanity, is a demonstration of insensitivity, selfishness, however he conditioned to feel superior, he is proud to have too, if he could see with my eyes he would be ashamed, I look pity the guy who has lots of money he is poorer than the guy who has little money, poor soul he is, he's poor feelings, he is poor humanity, solidarity he is poor, he is poor vision world, is one of the worst forms of poverty that exists old, of all poverty that I know, of the money for me is the easiest, is not pleasant, but it is easier to treat, not ashamed, that these other poverty I see these but I very ashamed. When I began to see that people despised me. "Get out, get out of there" I did not feel humiliated, I laughed, I saw other people get humiliated, wanting to react, get angry, "Who does this guy think he is?" Ta the guy who thinks he is superior to you, he thinks, that does not mean it's true, let him think there is no problem, no matter what one thinks about it, does not make you what you think, you are what you are man, what say you are, you have nothing with this, when you respond to an insult is collaborating with the system when you want to succeed in life you are collaborating with the system when you feel you're winning or losing collaborating with the system, when you want to holiday is collaborating with the system when you hate your job is collaborating with the system, I think anyone should accept a job hatred, people should only accept work on what they like, there is not possible, but there it is not possible which is good guy, that this life is easy and has value? I see nothing that is easy to have value, value is exactly what is hard, we can not escape what is difficult, we see against the sense of culture, they value what is hard, but he preached search easy, you have to get the facility, deny does not take into account how easily weakens, strengthens difficulty, much difficulty when you pass you get over, you learn to overcome the difficulties, however people search facility, and there are weak become brittle, any difficulty they panic, give up, you do not understand anything I think is one of the worst situations you have, the world sucks and you're not fucking understand, you kill yourself dude, you pyre, never took much antidepressant like today, people are anguished, questioning not because you are afraid of questioning, I heard phrases that are symbolic: "I do not want to realize, do not wanna know, do not want to think about it."
Only that person does not want to think about it, but the anguish ta inside, the solution to this angst is aware, but she is afraid to be aware, because she will be forced to realize her responsibility in this state that takes care of the society, natural that people estranhem my existence, my way of being, I'm not framed in default behaviors. "Lost logic." The discrimination is welcome, it is a good sign, I was embraced by the world, praised the globe, I would think something is wrong. "I hope you're right," I'm looking for. "You still looking?" I think I'll still look for thousands of years, I do not feel 50, 50 years has this housing here, I'm going through here, for this situation, then comes another, do not know how will be, nor do I care, to worried now.