Páginas

Guerra dos Farrapos

Guerra dos Farrapos

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Quando me amei de verdade ( When I loved myself of truth )



Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é...Autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de... Amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é... Respeito.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama... Amor-próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é... Simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a... Humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é... Saber viver!

Kim e Alison McMillen
____________________________________________

When I loved myself of truth, I understood that in any event, I was in the right place at the right time, at the right moment.
And then, I could relax.
Today I know that this has name ... Self-esteem.
When I loved myself of truth, I realized that my anguish, my emotional suffering, is just a sign that I am going against my truths.
Today I know that this is ... Authenticity.
When I loved myself of truth, I stopped to wish that my life was different and I began to see that everything that happens contributes to my growth.
Today I call it ... Ripening.
When I loved myself of truth, I began to realize how offensive trying to force some situation or someone just to do what I want, even though is not the time or the person is not prepared, myself included.
Today I know that the name of this is ... Respect.
When I loved myself really started to get rid of everything that was not healthy ... People, tasks, everything and anything to put me down. At first my reason called this attitude of selfishness.
Today I know that is called ... self-esteem.
When I loved myself of truth, I stopped fearing my free time and gave up making big plans, I abandoned the megalomaniac projects of the future.
Today I do what feels right, what I like, when I want and at my own pace.
Today I know that this is ... Simplicity.
When I loved myself of truth, I gave up wanting to be right and, therefore, wrong many times less.
Today I discovered the ... Humility.
When I loved myself of truth, gave up be reliving the past and worrying about the future. Now, keep me in this, which is where life happens.
Today I live one day at a time. This is ... Fullness.
When I loved myself of truth, I realized that my mind can torment me and disappoint me. But when I put in the service of my heart, it becomes a great and valuable ally.
All this is ... Read live!

Kim and Alison McMillen

Nenhum comentário:

Postar um comentário